Abrir menu principal

Área de Proteção Ambiental da Região do Maracanã

A Área de Proteção Ambiental do Maracanã é uma unidade de conservação, com 1.831 hectares, foi criada pelo Decreto 12.103 de 01 de outubro de 1991 e limita-se ao norte com o Parque Estadual do Bacanga e, ao sul, com o rio Grande. Essa região fica a 18 Km do centro de São Luís e apresenta florestas de galerias entremeadas por igarapés de água doce, terras baixas e formações, colinosas.[1]

Possui típica vegetação de várzea, predominando a juçara (açaí) e o babaçu. A tradicional Festa da Juçara é organizada anualmente no Maracanã.[1]

A fauna apresenta espécies como: juritis, rolinhas e pipiras-azuis.[1]

Abriga as nascentes do rio da Prata, afluente do rio Batatã (que pertence à Bacia Hidrográfica do rio Bacanga), e que contribui para a formação da Represa do Batatã, um dos principais mananciais para o abastecimento urbano da cidade de São Luís. Também é cortada pelo rio Maracanã e pelo rio Grande.

Engloba as localidades do Maracanã, parte da Vila de Maracanã,Vila Sarney, Vila Esperança e Rio Grande. Fica a aproximadamente a 18 Km do centro de São Luís, próximo a BR-135.

Festa da JuçaraEditar

Em São Luís, no bairro do Maracanã, zona rural do município, distante 25 km da capital, é realizada a Festa da Juçara. A ambientalista Rosa Mochel foi grande impulsionadora da festa com alguns moradores do bairro Maracanã e, após sua morte, em 1982, foi dada continuidade ao evento, com a criação da Associação dos Amigos do Parque da Juçara. [2]

Atualmente, a festa acontece no Parque da Juçara, espaço que funciona o ano todo, mas tem a festa como seu evento principal. São mais de 70 associados, 52 barracas, sendo 33 padronizadas, havendo ainda alguns camelôs associados ou não. A festa como objetivo valorizar a produção da juçara e seus subprodutos, preservando a cultura local, aumentando a renda dos moradores, por meio da comercialização da fruta típica do bairro do Maracanã e adjacências.[2]

Segundo os comerciantes do local, são vendidos em média mais de 10 mil litros da polpa da fruta por dia. A juçara pode ser degustada pura, com açúcar, com camarão seco, com farinha, e vários outros ingredientes a gosto do visitante. Também são realizados shows e programações culturais.[3]

Referências

  1. a b c «Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais - SEMA». www.sema.ma.gov.br. Consultado em 26 de maio de 2018 
  2. a b Keiliane Costa Amorim 1 Guilherme Dias Peixoto Campelo 1 Daniela Castro Araújo 2 Linda Maria Rodrigues 3 Ana Letícia Burity da Silva. «SBPC, NET» 
  3. «Prefeitura de São Luís apoia 48ª edição da Festa da Juçara, no Maracanã». Agência São Luís de Notícias