Štefan Tiso

Štefan Tiso (18 de outubro de 1897, Bytča - 28 de março de 1959) foi um advogado e presidente do Supremo Tribunal da República Eslovaca, que entre 1939 e 1945 foi um estado fantoche da Alemanha nazista. Era primo de Jozef Tiso, o Presidente da República.

Tornou-se primeiro-ministro (substituindo Vojtech Tuka), Ministro das Relações Exteriores (substituindo também Vojtech Tuka) e Ministro da Justiça (substituindo Gejza Fritz) da República Eslovaca.[1] Na última posição, em 1944, pressionou para as sentenças de morte contra líderes pró-aliados no Conselho Nacional Eslovaco.

Em um julgamento pós-guerra, Štefan Tiso foi condenado à prisão.[2]

Referências

  1. «Stefan Tiso». Munzinger  (em alemão)
  2. «Штефан Тисо». ХРОНОС  (em russo)