Abrir menu principal

7,65x17mm Browning

7,65x17mm Browning
7.65x17 mm Browning ReconTanto.jpg
Tipo Pistola
Local de origem Estados Unidos
Histórico de produção
Criador John Browning
Fabricante Fabrique Nationale
Período de
produção
1899

O calibre 7.65x17mm Browning, como é mais conhecido no Brasil; ou .32 ACP (Automatic Colt Pistol), como é mais conhecido nos Estados Unidos; ou 7.65 mm Browning Short, ou 7.65×17mmSR Browning, ou .32 Browning Auto, ou simplesmente .32 Auto; foi um calibre desenvolvido por John Browning para o uso nas pistolas semi automáticas M1900, introduzido no mercado pela Belga FN (Fabrique Nationale) em 1899.[1][2]

Na época o calibre foi um sucesso, sendo adotado por vários países.

Durante muito tempo, acreditou-se ser pivô na Primeira Guerra Mundial, com o assassinato de Franz Ferdinand. Hoje se sabe que a arma do atentado foi uma FN modelo 1910 em calibre .380 ACP. Na a Segunda Guerra Mundial, foi empregado no suicídio de Adolf Hitler com uma Walther PP calibre .32 ACP.

Foi desenvolvido no sistema blowback que não possuíam o mecanismo de travamento da culatra.

O calibre não deve ser confundido com a 7,65 mm Luger, nem mesmo com o mais recente 7.65 mm Tokarev que usa um estojo mais longo.

O calibre pode ser usado em espingardas de cartucho .30, e em alguns modelos é dispensado até a luva de conversão de calibre. Apesar de algumas literaturas recomendarem o uso de uma luva, não se faz obrigatório.

O .32 ACP também ganhou fama nas mãos do personagem fictício 007 que contrariando os conselhos para o uso de uma arma potente, prefere a Walther calibre .32 ACP. O filme faz uma correta relação ao usuário do “especialista”, que usa o calibre necessário para sua correta utilidade. Por ser um calibre com pouco poder de parada, o 7.65 x 17 mm Browning não tem praticidade na imobilização do adversário com vida. No filme, seu uso faz correta relação de um calibre que só tem boa utilidade se for para matar e não para parar o oponente. Mesmo os projéteis ponta oca, que melhorariam o poder de parada, não apresentam vantagem considerável frente a um .38 Special, no quesito stopping power.

No Brasil, teve seu auge de popularidade na década de 1980, por ser, até dezembro de 1987, o maior calibre de pistola semi automática permitido a civis. O lançamento da pistola Taurus PT-57 S, em 1982, foi responsável pelo início da popularização das pistolas, em detrimento dos revólveres, como arma de defesa pessoal. Seu uso entrou em declínio com a liberação do .380 ACP para civis.

Ver tambémEditar

NotasEditar

Referências

  1. «Colt's Manufacturing LLC». www.colt.com. Consultado em 14 de abril de 2016 
  2. «Guns for Sale - Online Gun Auction - Buy Guns at GunBroker.com». www.gunbroker.com. Consultado em 14 de abril de 2016 
  Este artigo sobre munição é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.