Abrir menu principal
Babaçu, planta típica da Mata dos Cocais

A Área de Proteção Ambiental dos Morros Garapenses é uma unidade de conservação localizada entre os municípios de Buriti, Duque Bacelar, Afonso Cunha e Coelho Neto, no Maranhão. A APA foi criada a partir do Decreto Nº 25.087 de 31 de dezembro de 2008 e possui área de 375,00m² (trezentos e setenta e cinco metros quadrados). [1]

Entre seus objetivos, está à preservação de um dos maiores sítios paleobotânicos do Brasil e das características geoambientais do Cerrado Norte-Maranhense e das Matas dos Cocais, do Leste do Estado. Compreende um domínio de natureza bastante frágil, com grande predisposição à extinção da fauna e flora.[1][2]

HistóriaEditar

Acredita-se que esses morros que deram origem ao nome do povoado Garapa. Na estação chuvosa, a água acumulava em partes de seus vales, dificultando a travessia de tropeiros e pedestres pela vereda principal em razão da formação de extensos atoleiros. Com a criação da cidade de Duque Bacelar (1955), o nome povoado Garapa foi sendo substituído pelo nome atual.[3]

O povoado Garapa foi um antigo porto natural fluvial na margem esquerda do rio Parnaíba (Maranhão). O Garapa é o nome do morro central da cidade de Duque Bacelar, com aproximadamente de 200 metros de altura. Com a popularização da escalada ao Morro Garapa por jovens, crianças e a população em geral, houve um crescente sentimento de preservação da região circundando a cidade e suas espécies vegetais nativas, a partir de 2001.[3]

Durante o governo Jackson Lago, pela Lei Nº 25.087/2008, foi criada a unidade de conservação maranhense localizada no Baixo Parnaíba e Alto Munim, dispondo de um Conselho, o CONAMG.[3]

RelevoEditar

 
Mulher lavando roupa em Nazária-PI, na outra margem fica o estado do Maranhão

Os Morros Garapenses Urbanos em Duque Bacelar são um conjunto de seis morros de formatos topográficos diversos, circundando o oeste e o sul da cidade.[3]

O Morro do Urubu fica na parte oeste da cidade, formando a parte direita do vale da Avenida Coronel Rosalino, no Centro, e do Bairro Vargem Redonda. No Centro da cidade, ele ainda forma partes da paisagem natural e, sendo cortado pela Rua Vicente Vilarem sua borda. Algumas da espécies de animais verificadas são:coelhos, porcos- espinhos, soins, veados e répteis. A floresta de babaçu em seu topo é densa.[3]

 
Carnaúba

O Morro Garapa é um dos mais conhecidos e visitados, sendo palco de diversas atividades de lazer, educação ambiental e ecoturismo. Com 200 metros de altura, forma uma das paisagens naturais mais significativas da cidade, sendo considerado um de seus cartões postais, com a presença de um mirante natural. O Morro Garapa forma a parte esquerda do vale da Avenida Coronel Rosalino e do Bairro Vargem Redonda. Nas suas proximidades, verifica-se a Lagoa da Oleria. [3]

O Morro dos Patins, localizado na Rua Chico Carnaúba, fica atrás do Morro Garapa. De seu Mirante natural, é possível observar na parte de traz do município uma visão das diversas lagoas e do vale do Parnaíba é espetacular.[3]

O Morro dos Estudantes, no Centro, é margeado pela Rua São José e a Rua Zeca Barão e Chico Carnaúba.De seu topo, é possível observar o Centro, dos bairros Mutirão, Vicente Vilar e a Rua Chico Rita. Sua vegetação é típica da Mata dos Cocais.[3]

O Morro Zeca Barão, Morro da Igreja ou Morro do Alto dos Mandis é extenso, com diversas curvas e bordas com muitas palmáceas.  Ele é margeado pela Rua São José e Alto dos Mandis. Na parte sul, há uma estrada que leva ao Pontão, sendo verificado o Igarapé Central, que deságua no rio Parnaíba. [3]

O Morro dos Ambientalistas localiza-se nos proximidades do bairro Furtado, com o cume mais baixo dos seis morros urbanos de Duque Bacelar na APA dos Morros Garapenses. Sua vegetação é uma das mais exuberantes. Atualmente, pela construção de bairros residências nas proximidades de seu entorno, ele sofre com sua vegetação séria ameaças de desaparecimento.[3]

BiodiversidadeEditar

A Vegetação da APA dos Morros Garapenses busca preservar os ecossistemas da zona de transição da Mata dos Cocais no leste do Maranhão, entre a caatinga e o cerrado, biomas brasileiros muito ameaçados. [3]

Sua hidrografia  é composta por dois importantes rios: Parnaíba e Munim. Em seu território, existem as nascentes do rio Preto e Estrela, bem como outras nascentes formadoras de riachos e lagoas naturais. [3]

A fauna é composta por várias espécies de mamíferos e aves ameaçadas de extinção, como o gato-maracajá, onça-parda, jacu-de-porco, etc.[3]

Na APA, outra atração é a floresta petrificada de árvores pré-históricas, encontrada em diversos sítios fosselíferos, constituindo um dos principais patrimônios ambientais e culturais do Maranhão.[3]

Importância e conservaçãoEditar

Alguns dos principais motivos para a preservação da APA são: a contribuição para regularizar o clima; são Patrimônios Naturais e Paisagísticos, contribuindo para a beleza da cidade; proporcionam um lugar de atividades de lazer, trilhas e educação da população e dos ambientalistas, com uma das principais atrações ecoturísticas da cidade; protegem a cidade de assoreamento, deslizamento de barrancos e segmentos naturais; promovem fonte de alimentos e extrativismo com seus frutos.[3]

Entretanto, os Morros Garapenses enfrentam diversas ameças à sua preservação, como queimadas criminosamente feitas por folquetes, roças e caeiras; roças de tocos; desmatamentos e as caeiras; urbanização desplanejada e predatória (construindo casas e prédios comerciais); ausência de políticas agrárias.; desrespeito a Legislação Ambiental consistente as Áreas de Proteção Ambiental e Áreas de Preservação Permanente; ausência de Fiscalização por parte da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Polícia Militar.  [3]   

ReferênciasEditar

  1. a b «Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais - SEMA». www.sema.ma.gov.br. Consultado em 26 de maio de 2018 
  2. «APA dos Morros Garapenses | Unidades de Conservação». uc.socioambiental.org. Consultado em 27 de maio de 2018 
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p blogspot.com.br/2014/03/os-morros-garapenses-urbanos-duque.html «Blog Folha do Garapa» Verifique valor |url= (ajuda). Blog Folha do Garapa. 2014 [ligação inativa]