Abrir menu principal

Wikipédia β

A Infância de Jesus


A Infância de Jesus (The Childhood of Jesus) é um romance de 2013 do escritor J. M. Coetzee que nasceu na África do Sul e que recebeu o Prémio Nobel da Literatura em 2003.[1] A obra foi publicada em 7 de Março de 2013 pelo editor Jonathan Cape.[2]

A Infância de Jesus
ChildhoodofJesusCoetzee2013HC.JPG
Autor(es) J. M. Coetzee
Idioma Inglês
Género Romance
Páginas 288
Cronologia
Diary of a Bad Year (2007)
Three Stories (2014)

Índice

ResumoEditar

 
Criança sem abrigo

O livro conta a história de um homem e de um menino que emigram para um novo país. Uma vez chegados, recebem novos nomes e a estimativa grosseira da sua idade e começam a aprender espanhol no esforço de se adaptar ao seu novo ambiente. Simon, o mais velho, começa a trabalhar como estivador num porto marítimo na descarga de cereais e lentamente faz amizade com os seus colegas de trabalho. Ao mesmo tempo, Simon procura localizar a mãe do David, o qual não se lembra dela, no pressuposto que este a reconhecerá quando a encontrar. Num passeio, David fixa-se a uma mulher que acredita ser sua mãe, levando Simon com sucesso a convencê-la a assumir esse papel. No entanto, quando ela começa a cuidar de David, devido à irrequietude deste na escola, as autoridades insistem para que ele seja enviado para uma escola especial distante. Recusando a entrega do menino, Simon e a mulher fogem com ele na esperança de escapar aos perseguidores e manter a custódia de David.

RecepçãoEditar

A recepção inicial do livro foi positiva, tendo Tim Adams do The Observer afirmado que seria "um contendor temporão para um terceiro prémio Booker, o que não teria precedentes".[3] The Australian também elogiou The Childhood of Jesus, afirmando que era uma "obra prima".[4]

Theo Tait, escrevendo em The Guardian, disse que A Infância de Jesus era "ricamente enigmático, com flashes regulares da inteligência penetrante de Coetzee" e comparou o livro ao restante do que ele chamou de "admirável mas proibitivo cânone" de Coetzee. Tait escreveu ainda que "pessoalmente, eu colocaria A Infância de Jesus algo atrás das suas parceiras obras-primas, como A Vida & Tempo de Michael K, À espera dos Bárbaros e Desgraça e também atrás da maravilhosa trilogia autobiográfica que terminou com Summertime". No entanto, escreveu Tait, A Infância de Jesus "provavelmente pertence ao conjunto estranho mas interessante, que inclui Foe, história ao estilo de Crusoe, e Elizabeth Costello.[5]

Após a sua publicação nos EUA, David Ulin, o crítico do Los Angeles Times, disse que a obra "acaba por sucumbir ao vazio que descreve. Em parte, tem a ver com a sua qualidade sinuosa; numa terra sem história, mesmo aqueles que procuram não esquecer devem perder de vista o passado. Mas ainda mais, a questão é a distância na escrita de Coetzee, a sensação de que os seus personagens não são vivos de carne-e-osso mas antes a encarnação de alguma ideia. Quando os seus romances funcionam (como em A Vida & Tempo de Michael K ou no magnífico À espera dos Bárbaros), as ideias de Coetzee são suficientemente grandes para nos prender, para nos dar uma nova perspectiva sobre o mundo. Com A Infância de Jesus, no entanto, a alegoria nunca vai além de si própria, além da imagem de um pequeno grupo de aventureiros, à deriva num universo desconhecido, "procurando um lugar para ficar".[6]

Referências

  1. Tim Adams, Fiction for spring – preview, Guardian, Londres, 30.12.2012, http://www.guardian.co.uk/books/2012/dec/30/fiction-spring-2013-preview?INTCMP=SRCH
  2. Amazon Unveils Book Blurb for JM Coetzee's The Childhood of Jesus, Books Live, http://bookslive.co.za/blog/2012/07/19/amazon-unveils-book-blurb-for-jm-coetzees-the-childhood-of-jesus/
  3. Tim Adams, Looks Forward to the Release of Chimamanda Ngozi Adichie and JM Coetzee's New Novels, The Observer, http://bookslive.co.za/blog/2013/01/08/tim-adams-looks-forward-to-the-release-of-chimamanda-ngozi-adichie-and-jm-coetzees-new-novels/
  4. Stephen Romey, High five of holiday Reading, The Australian, 02.02.2013, http://www.theaustralian.com.au/arts/review/high-five-of-holiday-reading/story-fn9n8gph-1226566047788,
  5. Theo Tait, Coetzee explores visions of a Buddhist utopia and a Kafkaesque retelling of the nativity story with compelling and puzzling results, The Guardian, Londres, 27.02.2013, http://www.guardian.co.uk/books/2013/feb/27/childhood-of-jesus-jm-coetzee-review
  6. David L. Ulin, J. M. Coetzee's 'The Childhood of Jesus' is a land without memory, Los Angeles Times, 05.09.2013, http://articles.latimes.com/2013/sep/05/entertainment/la-ca-jc-0908-jm-coetzee-20130908

NotaEditar