Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura por por outras acepções, veja Noite Ilustrada (desambiguação).
A Noite Ilustrada número 282, edição do dia 13 de março do ano de 1935.

A Noite Ilustrada foi uma notória revista brasileira de variedades[1] cujo nome veio a se tornar uma referência ao músico brasileiro Mário de Souza Marques Filho, conhecido atualmente apenas por Noite Ilustrada.[2] Conta se que certa feita o violonista Mário da Viola convidou o humorista e ator Zé Trindade (Milton da Silva Bittencourt, 1915-1990) para integrar o elenco de sua caravana de shows, e este, por sua vez, teria convidado Mário de Souza Marques Filho a cantar junto com ele, além de acompanhar com seu violão os artistas da excursão. Contudo, na estreia, o comediante teria se esquecido do nome de Mário Marques, vindo a resolver seu lapso de memória ao se lembrar do fato de que Mário era um leitor assíduo da revista “A Noite Ilustrada”, fato que acabou por consagrar o nome da publicação como o apelido oficial do músico.[3]

HistóriaEditar

A revista teve o jornalista, biógrafo e teatrólogo cearense Raimundo Magalhães Júnior como um de seus secretários[4] e publicou à época da morte do bando de Lampião a maior cobertura da imprensa sobre a morte do mais famoso cangaceiro.[5]

Referências

  1. Sodré, Nelson Werneck (1998). História da imprensa no Brasil. [S.l.]: Mauad Editora Ltda. p. 388. ISBN 9788585756888 
  2. «Câncer tira a vida de Noite Ilustrada | + Pop | Tribuna PR - Paraná Online». Tribuna PR - Paraná Online. 29 de julho de 2003 
  3. «Noite Ilustrada e o Homem de Três Corações». Blog DNA Santástico. 16 de setembro de 2012 
  4. «Biblioteca Virtual - Literatura». www.biblio.com.br. Consultado em 13 de novembro de 2017 
  5. «A Noite Ilustrada | TOK de HISTÓRIA». tokdehistoria.com.br. Consultado em 13 de novembro de 2017