Abrir menu principal

Aborígenes tasmanianos

Uma imagem dos últimos quatro aborígenes tasmanianos, de "puro sangue", c. 1860s. Truganini, a última a sobreviver, está sentada mais à direita.

Os aborígenes tasmanianos (nome aborígene: Palawa) são os povos indígenas da ilha da Tasmânia, Austrália.

Durante 1803-1833, uma população de aborígenes tasmanianos foi reduzida de uma estimativa de 5.000 para cerca de 300, principalmente devido a doenças introduzidas por colonizadores britânicos e conflitos com os colonizadores. Um dos últimos Palawa de "sangue puro", uma mulher chamada Trugernanner, morreu em 1876.[1] No entanto, muitas pessoas de descendência Palawa permaneceram e alguns aspectos da cultura tradiconal sobreviveram entre eles.

Quase todas as línguas indígenas tasmanianas foram perdidas. Actualmente existe um esforço para reconstruir uma das línguas a partir de listas de palavras e para manter viva a cultura aborígene a partir de aspectos mantidos em algumas famílias com ascendentes nos povos aborígenes. Alguns membros da comunidade de descendentes actuais, que clamam a ancestralidade nos aborígenes tasmanianos, são o resultado da população aborígene pré-colonização terem sido intensamente misturados com comunidades colonizadoras europeias, particularmente aquelas provenientes das ilhas britânicas.

ReferênciasEditar

  1. William Dalrymple (14 de outubro de 2007). «A lesson in humility for the smug West» (HTML). The Sunday Times. Consultado em 14 de março de 2008