Academia Internacional de Cinema


A Academia Internacional de Cinema (AIC) é uma das escolas de audiovisual pioneiras e mais prestigiadas do Brasil — com sede em São Paulo, a escola oferece uma intensa programação de cursos e eventos durante todo o ano.

Ao longo de seus 18 anos de história, a AIC formou mais 27 mil profissionais — que hoje atuam nas mais diversas áreas do setor. Mais de 3500 filmes foram produzidos por seus alunos, muitos dos quais encontraram reconhecimento em festivais nacionais e internacionais.

A escola oferece em sua sede dois cursos técnicos: o (Filmworks[1]) - Direção Cinematográfica e o o Curso de Atuação para Cinema e TV[2], credenciados e reconhecidos pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo[3], bem como um extenso catálogo com mais de 40 cursos livres voltados para a formação profissional, cobrindo toda a cadeia de produção audiovisual: do roteiro à distribuição.

A escola também apresenta um extenso catálogo de cursos online, tanto com aulas ao vivo, acompanhadas de perto pelo professor, como aulas gravadas. Além disso, desenvolve cursos e treinamentos em outros espaços (in-company), na forma de parcerias.  

Histórico editar

 
Português: Alunos da Academia Internacional de Cinema em um set do Curso de Direção de Fotografia em São Paulo.

Fundada no dia 5 de agosto de 2004, inicialmente em Curitiba, PR, em janeiro de 2006 a AIC transferiu sua sede para São Paulo, em um casarão da década de 1920, no bairro de Higienópolis. A opção pela mudança de estado se deu em função de que a maioria dos alunos e professores vinham de outros estados, principalmente de São Paulo, onde não havia escolas voltadas para a formação prática, com o perfil da AIC. A instituição viu em São Paulo seu espaço natural. Em pouco tempo, formou uma comunidade vibrante de professores, alunos e colaboradores. Mais de 3200 filmes[4] já foram produzidos por seus alunos em seus cursos, muitos deles selecionados e premiados em mostras e festivais nacionais e internacionais, fortalecendo a tradição artística e cultural da escola[5][6][7][8][9][10].

Retrospectiva de 2004 a 2021

Em 2004 a Academia Internacional de Cinema abre suas portas em Curitiba, PR, (sob o nome Academia Internacional de Cinema de Curitiba), no dia 5 de agosto de 2004, com uma aula inaugural do diretor e fotógrafo Carlos Ebert, e o fotógrafo polonês Grzegorz Kedzierski, professor da renomada escola de cinema de Lódz, integra o corpo docente. 65 alunos ávidos por aprender cinema na prática vêm de diversas partes do país para formar as primeiras turmas do curso Filmworks, curso com com duração de 2 anos. Em sua primeira leva de filmes, os alunos produzem autorretratos e curtas-metragens que até hoje habitam a memória coletiva de todos que viveram aquele momento pioneiro da AIC.

Em 2005 mais filmes – em diversos gêneros – são realizados ao longo do ano; a AIC realiza uma mostra competitiva na Cinemateca de Curitiba que dará origem futuramente ao festival que hoje é conhecido como Filmworks Film Festival, premiando os melhores trabalhos produzidos pelos alunos. Entre os palestrantes estão o documentarista americano Henry Breitose, o diretor sueco Mikael Wistrom e o diretor e editor brasileiro Felipe Lacerda. Alunos visitam o Festival de Gramado, onde realizam, com o videomaker alemão Tobias Kohl, uma intervenção visual usando adesivos e gravando a experiência. Outros cursos são inaugurados, como o Intensivo de Férias (o atual Cinema Férias) que hoje continua a atrair alunos de vários estados do país nas férias de verão e de inverno.

Em 2006 a AIC desembarca em São Paulo e transfere sua sede para o atual casarão histórico em que hoje se localiza em São Paulo, que conta também com um estúdio. Passa a ser denominada Academia Internacional de Cinema e realiza uma Open House que abre o ano letivo com palestras abertas ao público, que dará origem à Semana de Orientação. Abre-se também a primeira turma do curso de Documentário. Com a formatura da primeira turma do Filmworks em Curitiba, encerra-se o ciclo na cidade, e os profissionais formados pelo curso começam a movimentar produções locais e em seus estados de origem.

O ano de 2007 começa com uma Semana de Orientação histórica, que reuniu alguns dos melhores diretores e profissionais de cinema da America Latina, com filas de dar volta na quadra para a palestra a diretora argentina Lucrecia Martel, que acabou dando uma palestra extra no mesmo dia, e com palestras de grandes cineastas brasileiros: Philippe Barcinski, Karim Aïnouz, Lili Caffe, Paulo Morelli, Jefferson D, Lina Chamie, Rogério Guidette, Felipe Lacerda, Katia Coelho, Andrea Tonacci, Jorge Bodanzky; a AIC passa cada vez mais a fazer parte da comunidade de cinema nacional, através de seus professores – profissionais atuantes no mercado—, e de seus alunos, que começam a integrar esse mercado e a ver seus filmes selecionados em festivais.

Em 2008 o Filmworks torna-se curso técnico e é o primeiro curso nesses moldes no Brasil. Em 2010 acontece a primeira edição do Filmworks Film Festival, festival de cinema exclusivo para alunos da AIC. Em 2011 o videomaker francês Vincent Moon ministra na AIC o workshop que resulta no vídeo “Temporary São Paulo”.

Em 2012[11] acontece a primeira Semana de Cinema e Mercado, uma série de palestras dedicadas ao business do cinema: produção, distribuição, festivais e tecnologia. A edição conta com palestras de Mini Kerti, André Sturm, Lucio Kodato, Daniela Pfeiffer e Laura Fazolli. Entre os sucessos de alunos, “Inspiração”, curta-metragem produzido pela Locomotiva Filmes, produtora criada por ex-alunos da AIC, vence o Make it Short, concurso lançado pelo ator Antonio Banderas no México. “Irene[12]”, curta de graduação de alunos da AIC, ganha mais de 10 prêmios nacionais e internacionais, incluindo Melhor Filme no Barcelona G&L Film Festival e Melhor Diretor Estreante no Entretodos – Festival de Curtas de Direitos Humanos.

Em 2013[13] cursos de formação profissional com duração de um ano são criados e filmes de alunos seguem circulando em festivais nacionais e internacionais, e conquistando prêmios importantes, como o prêmio de melhor ficção para “Antes de Palavras” no Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba. Por “Arthur e o Infinito[14]”, exibido em mais de 27 cidades pelo país, a diretora – aluna da AIC – recebe a Medalha de Mérito Autista, concedida pela Fundação Mundo Azul.

 
Brigitte Broch, diretora de arte de “Moulin Rouge”, “Amores Perros” e “Babel” em palestra na AIC em 2015. Crédito Yuri Pinheiro

Em 2014[15] a AIC comemora 10 ANOS com mais de 2000 curtas 2000 produzidos por seus alunos e em 2015[16] inaugura sua unidade no Rio de Janeiro, num casarão histórico em Botafogo restaurado para abrigar a escola; a AIC São Paulo é convidada por Giorgio Armani e pela televisão italiana RAI para a segunda edição do projeto Films of City Frames[17], ao lado de outras três escolas internacionais (de Turim, Sidney e Seul) – o aluno vencedor de cada escola teve seu roteiro produzido e levou pessoalmente seu filme ao BFI London Film Festival[18], numa exibição apresentada por Helen Mirren.

Em 2015[19] A AIC inaugura sua unidade do Rio de Janeiro, num casarão histórico em Botafogo restaurado para abrigar a escola. A Semana de Orientação realiza-se no Rio e em São Paulo, com a diretora de arte alemã Brigitte Broch, a atriz argentina Inês Efron, a diretora Lucia Murat, o crítico André Miranda e a criadora de animação Rosana Urbes. Na Semana de Cinema Mercado, Renata Almeida, Marco Aurélio Marcondes, Rodrigo Maia, Zico Góes (SP)- Carla Domingues (RJ) abordam temas como festivais, distribuição, crowdfunding e mercado de TV. O fotógrafo Lula Carvalho também conversa com alunos sobre seu trabalho. A AIC São Paulo é convidada por Giorgio Armani e pela televisão italiana RAI para a segunda edição do projeto Films of City Frames, ao lado de outras três escolas internacionais (de Turim, Sidney e Seul) – o aluno vencedor de cada escola teve seu roteiro produzido e levou pessoalmente seu filme ao BFI London Film Festival, numa exibição apresentada por Helen Mirren.

Em 2016[20] a Semana de Orientação traz os diretores Fernando Coimbra, Gabriel Mascaro, Evaldo Mocarzel (SP), Anita Rocha da Silveira, José Henrique Fonseca e o roteirista George Moura (RJ); a AIC-RJ inaugura o curso de Roteiro de Humor, com aula aberta via Facebook Live com os roteiristas do Casseta e Planeta (Helio de La Peña) e do Zorra (Gabriela Amaral, Haroldo Mourão e Ricardo Sarkis Alves). Lauro Escorel vem ao curso de Direção de Fotografia (SP). O produtor Rodrigo Teixeira conversa com alunos nas duas unidades – acompanhado no Rio pelo roteirista e produtor americano James Schamus. O animador brasileiro de Tim Burton, Matias Liebrecht, dá um workshop (SP e RJ). Maria Bopp, ex-aluna do curso de Interpretação para Cinema, tornou-se conhecida mundialmente[21] porque, de 2016 a 2020 em quatro temporadas, estrelou como protagonista[21] da série de televisão Call me Bruna[21] dedicada a Bruna Surfistinha.[21] São muitos e muitos os festivais com presença de alunos da AIC. 

Em 2017[22] a Semana de Orientação traz Marina Person, Beto Brant, Marçal Aquino, José Luiz Villamarim, Emília da Silveira e Wagner Moura[23]. O diretor escocês Kevin Macdonald ministra aula aberta e gratuita e em junho a Semana de Cinema e Mercado[24] traz Laís Bodanzky, Caio Gullane, Ilda Santiago, Fellipe Barbosa e Clara Linhart, além de um Painel de Mulheres cineastas discutindo a presença feminina no Cinema Brasileiro. A parceria entre AIC e a Escola de Artes da Universidade de Columbia traz para o Brasil o ex-diretor de programação da Film Society do Lincoln Center e do Festival de Cinema de Nova York, Richard Peña. “City of The Sun[25]”, editado pelo ex-aluno Ramiro Suárez é selecionado para o 67º Festival Internacional de Cinema de Berlim e a ex-aluna Jéssica Queiroz recebe dois prêmios no Festival de Brasília com “Peripatético”. Acontece o primeiro workshop “Como Ser um Youtuber” em parceira com o canal Pipocando e alguns novos cursos são lançados como o Formação livre em edição, Técnico em Atuação para Cinema e TV e o Curso de Roteiro Online, que inaugura a Escola de Cinema Online, com cursos ao vivo.

Em 2018[26] acontece a expansão da AIC online: a escola fecha o ano com nove cursos online - com aulas em vídeo ao vivo e gravadas. Na Semana de Orientação, direção, séries de TV, atuação e mulheres no cinema são discutidos num programa que inclui Tata Amaral e Vanessa Pietro e Mini Kerti, Isadora Ferrite e Pedro Freire, e Daniel Rezende. Com o tema “TV e Canais On Demand: criação e produção de séries e filmes”, a Semana de Cinema e Mercado traz em São Paulo: Carolina Alckmin e Erez Milgrom (O2), Tiago Mello e Eduardo Piagge (Netflix) e Krishna Mahon (Imprensa Mahon); no Rio: Sergio Goldenberg (Globo), Breno Silveira (Conspiração) e João Daniel Tikhomiroff (Mixer). A AIC intensifica a criação de conteúdo em seu site e redes sociais, com mais reportagens e vídeos sobre arte, cultura e cinema. Em parceria com a Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro – APAN em São Paulo e o Educafro no Rio de Janeiro, lança uma convocatória para selecionar alunas negras para o Curso Livre de Formação em Roteiro da escola, além de apoiar o Instituto Criar, a Associação Vida.Com e o Educafro, entre outros. Cria-se também um elo entre os alunos dos cursos técnicos de direção e de atuação, que passam a trabalhar juntos em laboratórios dedicados à prática de exercícios de cena. Estreita-se a ponte entre escola e mercado, com a semana “E Agora José”, em que formandos recebem orientação profissional. A esta altura, a AIC já produziu com seus alunos, mais de 2900 filmes.  

2019[27] foi um ano marcado por parcerias com grandes festivais e instituições. A AIC esteve presente no Rio2C, maior evento de audiovisual da América Latina e na Mostra de Cinema de Tiradentes, entre tantos outros festivais. Redesenhou sua logo e identidade visual,  atualizando e modernizando a marca. A escola recebeu Camila Mardila, Sara Silveira, Carolina Jabor, Karine Teles etc.

2020[28] Em meio a pandemia do novo coronavírus e tantas perdas para a humanidade, a Academia Internacional de Cinema, assim como tantas outras escolas, precisaram se readaptar e buscar novas formas de ensinar e assim ampliou o catálogo de CURSOS ONLINE. Em março eram 8 cursos. Em dezembro 45. Também teve a Série Encontros[29], que trouxe workshops com grandes realizadores, entre eles Kleber Mendonça Filho, Juliano Dornelles, Lucrecia Martel e Marco Dutra. O projeto Cinema 360[30], ou AIC Online – Formação Audiovisual para todo o Brasil foi lançado e mais de 360 bolsas distribuídas em 7 cursos online, para residentes de 24 estados Brasileiros, mais Distrito Federal.

2021[31] O filme “Cantareira”, realizado por alunos da AIC, é premiado na última edição de Cannes e também vence o grande prêmio da Competição Nacional do Festival Curta Cinema 2021.

Eventos editar

Todos os anos, a Academia Internacional de Cinema realiza diversas exibições e palestras abertas ao público, bem como aulas especiais com reconhecidos cineastas nacionais e internacionais, dando continuidade a uma série de discussões sobre o cinema contemporâneo, sobre o fazer cinema [32][33][34].

  • Semana de Orientação: uma semana inteira de exibições de filmes e palestras com cineastas convidados, brasileiros e internacionais, que inaugura o ano letivo.
  • Semana Cinema e Mercado: uma semana de palestras e mesas redondas com profissionais que movimentam o mercado audiovisual: produtores executivos, distribuidores, representantes de empresas de equipamentos e tecnologia. Abre o segundo semestre do Filmworks – o Curso Técnico de Direção Cinematográfica.
  • Filmworks Film Festival: cerca de 20 filmes concorrem anualmente em diversas categorias técnicas e criativas, incluindo Melhor Filme. Os filmes são avaliados por um júri composto por diretores, produtores e jornalistas convidados, e os vencedores recebem prêmios.
  • Palestras e aulas especiais: uma programação contínua ao longo do ano, com cineastas nacionais e internacionais convidados, produtores, técnicos, distribuidores, e diversas empresas e profissionais de cinema.
  • Mostra Documentário: realizada duas vezes por ano, exibição dos documentários produzidos por alunos ao longo do curso de Documentário. Os filmes são exibidos em sala especializada de cinema.

Cursos editar

 
Sede da Academia Internacional de Cinema (AIC) - São Paulo SP

Sobre os cursos deve-se notar que a AIC possui uma grade composta por diversos cursos que cobrem todo o processo de produção audiovisual, da concepção à distribuição de filmes, nas áreas de direção, produção, roteiro, edição, atuação, fotografia, arte, som documentário e teoria do cinema.

Com diferentes durações e tipos de certificação a escola possui cursos de:

  • Formação Profissional: cursos técnicos com formação profissional, dois anos de duração e maior aprofundamento artístico e técnico;
  • Formação Livre: com duração aproximada de 8 meses, aprofundam os conteúdos teóricos e práticos em áreas específicas do cinema;
  • Cursos Semestrais, com diferentes formatos e duração, com turmas novas a cada semestre;
  • Cursos de Férias, com durabilidade que vão de uma semana a um mês, com aulas intensivas durante os meses de férias (janeiro e julho);
  • Workshops com profissionais reconhecidos do audiovisual, duração entre 1 a 3 dias;
  • Cursos de Cinema Online para quem não está nos grandes centros e quer estudar a distância e; Cursos InCompany: montados para atender necessidades específicas de cada empresa, já fez treinamentos em algumas das maiores produtoras e emissoras do país. 

    Referências

  1. http://aicinema.com.br/curso/filmworks/
  2. «Técnico em Atuação para Cinema e TV – Academia Internacional de Cinema (AIC)». Consultado em 28 de julho de 2020 
  3. Diário Oficial - DOE de 24 de junho de 2008 nº115 – seção I – pág. 48 - DOE de 8 de julho de 2008 – página 24 - http://www.educacao.sp.gov.br/
  4. http://aicinema.com.br/aic/
  5. http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2013/04/1264955-fui-tragado-pela-violencia-diz-cineasta-vencedor-do-e-tudo-verdade.shtml
  6. http://aicinema.com.br/category/news/alunos-no-mercado/
  7. http://www.aterrodoc.com/chi-7%C2%B0-cine-otro/
  8. http://www.locomotivafilmes.com/?portfolio=gui-ashcar-2[ligação inativa]
  9. «Cópia arquivada». Consultado em 25 de abril de 2013. Arquivado do original em 8 de janeiro de 2015 
  10. http://36.mostra.org/filme/373975/antes-do-fim-mundo
  11. «Retrospectiva 2012 | Academia Internacional de Cinema (AIC) - Escola de Cinema - RJ - SP». Academia Internacional de Cinema (AIC). 21 de dezembro de 2012 
  12. «ALUNOS NOS FESTIVAIS: FOI ASSIM COM "IRENE" | Academia Internacional de Cinema (AIC) - Escola de Cinema - RJ - SP». Academia Internacional de Cinema (AIC). 3 de junho de 2013 
  13. «2013 - Um Ano de Muito Sucesso | Academia Internacional de Cinema (AIC) - Escola de Cinema - RJ - SP». Academia Internacional de Cinema (AIC). 17 de dezembro de 2013 
  14. «Arthur e o Infinito é exibido em diversas cidades e ganha medalha de mérito no Rio de Janeiro | Academia Internacional de Cinema (AIC) - Escola de Cinema - RJ - SP». Academia Internacional de Cinema (AIC). 21 de novembro de 2013 
  15. «Retrospectiva 2014 | Academia Internacional de Cinema (AIC) - Escola de Cinema - RJ - SP». Academia Internacional de Cinema (AIC). 23 de dezembro de 2014 
  16. «Retrospectiva 2015 - Academia Internacional de Cinema | Academia Internacional de Cinema (AIC) - Escola de Cinema - RJ - SP». Academia Internacional de Cinema (AIC). 12 de dezembro de 2015 
  17. «Aluna dirige curta para o projeto Films Of City Frames, de Giorgio Armani | Academia Internacional de Cinema (AIC) - Escola de Cinema - RJ - SP». Academia Internacional de Cinema (AIC). 15 de julho de 2015 
  18. «Legado estreia no BFI London Film Festival | Academia Internacional de Cinema (AIC) - Escola de Cinema - RJ - SP». Academia Internacional de Cinema (AIC). 22 de outubro de 2015 
  19. woj, monica (12 de dezembro de 2015). «Retrospectiva 2015». Consultado em 4 de maio de 2022 
  20. «RETROSPECTIVA 2016 | Academia Internacional de Cinema (AIC) - Escola de Cinema - RJ - SP». Academia Internacional de Cinema (AIC). 10 de dezembro de 2016 
  21. a b c d «Cópia arquivada». Consultado em 9 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 9 de dezembro de 2019 
  22. «Retrospectiva 2017 - Academia Internacional de Cinema (AIC) | Academia Internacional de Cinema (AIC)». Academia Internacional de Cinema (AIC) RJ - SP - Online. 4 de dezembro de 2017. Consultado em 28 de julho de 2020 
  23. «Wagner Moura conta sobre sua estreia como diretor em filme sobre Marighella | Academia Internacional de Cinema (AIC)». Academia Internacional de Cinema (AIC) RJ - SP - Online. 21 de fevereiro de 2017. Consultado em 28 de julho de 2020 
  24. «Semana de Cinema e Mercado 2017 | Academia Internacional de Cinema (AIC)». Academia Internacional de Cinema (AIC) RJ - SP - Online. 26 de julho de 2017. Consultado em 28 de julho de 2020 
  25. «City Of The Sun no Festival de Berlim 2017 | Academia Internacional de Cinema (AIC)». Academia Internacional de Cinema (AIC) RJ - SP - Online. 7 de fevereiro de 2017. Consultado em 28 de julho de 2020 
  26. «Retrospectiva 2018 | Academia Internacional de Cinema (AIC)». Academia Internacional de Cinema (AIC) RJ - SP - Online. 5 de dezembro de 2018. Consultado em 28 de julho de 2020 
  27. Woj, Monica (16 de dezembro de 2019). «Retrospectiva 2019 AIC». Consultado em 4 de maio de 2022 
  28. Woj, Monica (7 de dezembro de 2020). «Retrospectiva 2020». Aicinema. Consultado em 4 de maio de 2022 
  29. Woj, Monica (22 de julho de 2020). «Encontros». Consultado em 4 de maio de 2022 
  30. Woj, Monica (12 de julho de 2021). «Projeto Cinema 360». Consultado em 4 de maio de 2022 
  31. Woj, Monica (9 de dezembro de 2021). «Retrospectiva 2021». Consultado em 4 de maio de 2022 
  32. http://guia.folha.uol.com.br/cinema/ult10044u867354.shtml
  33. http://www.papodecinema.com.br/noticias/academia-internacional-de-cinema-recebe-importantes-profissionais-do-mercado
  34. «Cópia arquivada». Consultado em 25 de abril de 2013. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2014