Adelina, a charuteira

Adelina, a charuteira (São Luís do Maranhão, século XIX), foi uma escrava e abolicionista brasileira.

BiografiaEditar

Adelina nasceu em 07 de abril de 1859 e foi batizada em 27 de novembro de 1859 pelo reverendo padre Antonio Francelino de Abreu na igreja Matriz. Seus padrinhos se chamavam Manuel Joaquim da Fonseca e Dona Maria Magdalena Henriques Viana. Adelina era filha de escrava com um senhor de escravos. Ela e sua mãe chamada de "Boca da Noite" mas seu verdadeiro nome era Josepha Tereza da Silva. As duas tinham tratamento privilegiado perante os demais escravos, por preferência do senhor.[1]

Quando seu pai que se chamava João Francisco da Luz teve um revés financeiro, passou a fabricar charutos, encarregando a filha da venda avulsa pela cidade inclusive dizem as más linguas que se tratava de uma formidável vendedora onde tinha como clientes os alunos do Liceu Maranhense e muita gente famosa daquela época , o que lhe dava liberdade de movimentos em São Luís por grande parte de suas ruas . Ela aproveitou para trabalhar em prol da libertação dos escravos, ajudando uma associação de estudantes conhecida como Clube dos Mortos, que ajudava na libertação e fuga de escravos.[2]

Frequentava o Largo do Carmo com muita frequência, onde eram promovidos comícios e palestras a favor da abolição. Seu oficio a levou a formar uma vasta rede de relacionamentos e a conhecer bem toda a cidade, seu ofício ajudava a não levantar suspeitas, ajudando na libertação de muitos escravos.

Referências

  1. Schuma Schumaher,Erico Vital Brazil (2000). Dicionário mulheres do Brasil: de 1500 até a atualidade. [S.l.]: Zahar. 23 páginas. ISBN 85-7110-573-1 
  2. Clóvis Moura (2004). Dicionário da escravidão negra no Brasil. [S.l.]: EDUSP. 18 páginas. ISBN 85-314-0812-1 

Ligações externasEditar