Abrir menu principal

BiografiaEditar

Chilton estreou nos palcos em 1967 como o vocalista da banda The Box Tops, que alcançou o sucesso com a canção "The Letter". Sentindo-se cada vez menos importante dentro do grupo, que era essencialmente um projeto do produtor-compositor Dan Penn, ele deixou o Box Tops em 1969 para seguir carreira solo.

Após passar um período na cidade de Nova York, onde aperfeiçoou sua técnica vocal e de guitarra, Chilton foi convidado em 1971 pela banda Big Star para ocupar a vaga de guitarrista.

Retomou sua carreira solo depois do fim do grupo em 1974. Foi quando voltou a morar em Nova York, passando a maior parte do tempo no clube CBGB durante o auge do punk rock. Nessa mesma época Chilton tornou-se produtor do The Cramps, continuando a gravar e excursionar durante os anos 80.

Em 1993 Chilton reformulou o Big Star, gravando com a banda um novo álbum de estúdio, lançado em 2005.

Em 17 de março de 2010 Chilton faleceu de causas não confirmadas (possivelmente de ataque cardíaco).[1]

Discografia soloEditar

  • One Day in New York (1977)
  • Singer Not the Song - EP (1977)
  • Bangkok/Can't Seem to Make You Mine - compacto (1978)
  • Like Flies on Sherbert (1979)
  • Bach's Bottom (1981)
  • Live in London (1982)
  • Feudalist Tarts - EP (1985; relançado em 1994)
  • Lost Decade (1985)
  • Document (1985)
  • No Sex - EP (1986; relançado em 1994)
  • Stuff (1987)
  • High Priest (1987; relançado em 1994)
  • Black List - EP (1989; relançado em 1994)
  • 19 Years: A Collection of Alex Chilton (1991)
  • Clichés (1994)
  • A Man Called Destruction (1995)
  • 1970 (1996)
  • Top 30 (1997)
  • Cubist Blues, com Ben Vaughan e Alan Vega (1997)
  • Loose Shoes and Tight Pussy (1999)
  • Live in Anvers (2004)

Notas e referênciasEditar

Ligações externasEditar