Abrir menu principal

DescriçãoEditar

Aneuraceae é uma família pouco conhecida da ordem Metzgeriales, considerada pela literatura como a ordem que possui o maior número de espécies. Compreende mais de 300 taxa descritos e segundo o estudo de (Nebel 2016) só o género Riccardia foi caracterizado com 280 taxas. Sendo assim é considerada a necessidade que uma revisão taxonômica seja feita, devido que certamente as espécies descritas sofreram aumento por apresentarem características semelhantes, o que ocasionaria a diminuição de espécies descritas e aceita no mundo todo.

Atualmente 8 gêneros são conhecido: Acrostolia, Aneura, Cryptothallus, Lobatiriccardia, Pseudoneura, Riccardia, Sarcomitrium e Trichostylium.[2][3]

MorfologiaEditar

As espécies da família Aneuraceae possuem aspecto taloide (laminar), e apresentam ramificações que podem ser simples ou complexas. As nervuras do talo são cordões centrais em secção transversal, não havendo um nervo central – característica que diferencia a família dentro da ordem Metzergiales.

O crescimento pode ser ereto ascendente ou prostrado, e as folhas podem apresentar regiões diferenciadas , central e marginal, sendo a central mais espessa do que as marginais (espessura de 3 células e 1 célula, respectivamente).[4]

No Brasil há o registro de 3 gêneros (Aneura, Lobatiriccardia e Riccardia), com  14 espécies, das quais 2 endêmicas. [5][6]

Aneuraceae habita o Norte (Acre, Amazonas, Amapá, Pará), Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte), Centro-Oeste (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso), Sudeste (Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo) e Sul (Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina).[6]

No Brasil as espécies de Aneuraceae tem possíveis ocorrências no Nordeste (Rio Grande do Norte), Domínios Fitogeográficos , Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa, Pantanal.[6]

Essas espécies podem ocorrer em diferentes tipos de vegetação, como: Campo de Altitude, Campo Limpo, Cerrado (lato sensu), Floresta Ciliar ou Galeria, Floresta de Terra Firme, Floresta Estacional Decidual, Floresta Estacional Semidecidual, Floresta Ombrófila (= Floresta Pluvial) e Floresta Ombrófila Mista.[6] A imagem abaixo ilustra a ocorrência das espécies de Aneuraceae em diferentes tipos de vegetações no Brasil.[6]

Referências

  1. «Aneuraceae» em PlantList.
  2. PREUBING, Markus et al. New insights in the evolution of the liverwort family Aneuraceae (Metzgeriales, Marchantiophyta), with emphasis on the genus Lobatiriccardia. International Association For Plant Taxonomy (iapt). Austria, p. 1424-1424. ago. 2010. Disponível em: <http://www.jstor.org/stable/20774039#?seq=1#page_scan_tab_contents>. Acesso em: 12 dez. 2017.
  3. RABEAU, Lucile et al. New insights into the phylogeny and relationships within the worldwide genus Riccardia (Aneuraceae, Marchantiophytina). European Journal Of Taxonomy. França, p. 2-2. ago. 2017. Disponível em: <http://www.europeanjournaloftaxonomy.eu/index.php/ejt/article/view/397/833>. Acesso em: 12 dez. 2017.
  4. G, Ricardo Rico. Inventario preliminar de la familia Aneuraceae en Venezuela. Bryophyte Diversity And Evolution, Venezuela, v. 27, n. 1, p.45-45, set. 2006. Disponível em: <https://biotaxa.org/dbe/article/view/bde.27.1.6>. Acesso em: 12 dez. 2017.
  5. COSTA, DP., and LUIZI-PONZO, AP. Introdução: as briófitas do Brasil. In: FORZZA, RC., org., et al. INSTITUTO DE PESQUISAS JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO. Catálogo de plantas e fungos do Brasil [online]. Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. p. 65. Vol. 1. ISBN 978-85-8874-242-0. Available from SciELO Books .
  6. a b c d e Aneuraceae in Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro.Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/reflora/floradobrasil/FB97824>. Acesso em: 12 Dez. 2017

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aneuraceae