Abrir menu principal
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde novembro de 2017)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

Primeira esposa de Pompeu, que se casou com ela em 86 a.C. e a repudiou em 82 a.C., por ordem de Sula, para se casar com Emília Escaura, enteada do tirano.

Antístia era filha de Calpúrnia e de Publius Antistius, um juiz da plebe. Quando ficou noiva de Pompeu, ele estava sendo acusado de apropriação indébita dos saques feitos pelo exército romano nos movimentos finais da Guerra Social contra as tribos itálicas, mas ela intercedeu por Pompeu junto ao pai, que era um dos juízes do caso, e ele foi absolvido.

O pai de Antístia foi assassinado por Carbo, por ser partidário de Sula, e a mãe dela se matou em seguida.

Sula, no entanto, queria uma aliança com Pompeu e o forçou a repudiar Antístia para se casar com sua enteada Emília, que era casada, estava grávida e também foi forçada a deixar o marido.


Referências

BibliografiaEditar

  • Broughton, T. Robert S. (1952). The Magistrates of the Roman Republic. Volume II, 99 B.C. - 31 B.C. (em inglês). Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas 
  • De Souza, P. (2002). Piracy in the Graeco-Roman World (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press. iSBN 978-0-521-01240-9 
  • Plutarco, Life of Pompeuis, IX