Abrir menu principal

António Gomes de Avelar

O Conde de Avelar

Antonio Gomes de Avelar (São Martinho do Porto, Alcobaça, 24 de maio de 1855Rio de Janeiro, 1932) foi um benemérito e filantropo, emigrante português no Brasil, país onde faleceu. Foi agraciado com o título de Conde de Avelar, um título nobiliárquico criado por decreto de 27 de Julho de 1901 do rei D. Carlos I de Portugal. O título foi acumulado ao título de Visconde de Avelar, criado em 4 de Março de 1897. Era comendador da Ordem de Cristo.[1] Foi presidente do Real Gabinete Português de Leitura, no Rio de Janeiro entre 1899 e 1903.[2]

BiografiaEditar

Filho de Jose Gomes de Avelar e de Maria dos Prazeres Alvares de Azevedo. Teve cinco irmãos e irmãs: Castorina Ema Alvares de Avelar; Victoria do Livramento de Avelar; Francelina de Avelar; Francisco Gomes de Avelar; e Victorino Gomes de Avelar. Os seus avós paternos foram António Gomes de Almeida do Avelar Rolim e Oliveira e Ana Joaquina Garcia de Sousa e os seus avós maternos José Álvares de Azevedo e Perpétua Felicidade do Céu Álvares de Azevedo.


  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.

Notas