Abrir menu principal

António Maria Baptista

político português
António Maria Baptista
Nome nativo António Maria Baptista
Nascimento 5 de janeiro de 1866
Beja
Morte 6 de junho de 1920 (54 anos)
Lisboa
Cidadania Portugal
Ocupação político, militar
Causa da morte acidente vascular cerebral

António Maria Baptista GCTEComA (Beja, 5 de Janeiro de 1866Lisboa, 6 de Junho de 1920) foi um político e militar português que se distinguiu nas campanhas coloniais, tendo chegado a presidente do Ministério (primeiro-ministro), falecendo no exercício desse cargo[1][2].

BiografiaEditar

António Baptista segue a carreira militar e combate nas campanhas de África, onde enquanto tenente do Exército participa nas campanhas de ocupação de Moçambique e na captura de Gungunhana.

Depois de 1910 assume-se como militante do Partido Democrático. Promovido a Coronel em 1917, também se distinguiu na Primeira Guerra Mundial.

No primeiro governo de Domingos Pereira, em 1919 exerce o cargo de ministro da Guerra. Nesse cargo, teve um importante papel na derrota das tentativas de restauração monárquica, no período da Monarquia do Norte, e na repressão das greves de inspiração anárco-sindicalista que foram então desencadeadas. A 15 de Fevereiro desse ano foi feito Comendador da Ordem Militar de Avis.[3]

No ano seguinte será o próprio coronel encarregado de formar governo, após algumas divergências no Partido Democrático, tendo assumido o cargo a 8 de Março de 1920.

A 3 de Junho de 1920 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito.[3] Governando num período de grande instabilidade social e política, morre no exercício do cargo, em 6 de Junho de 1920, em pleno conselho de ministros, vítima de uma apoplexia, depois de receber uma carta insultuosa. Foi promovido postumamente a General.

Notas