Antônio van Diemen

Antônio van Diemen
Anthony van Diemen.jpg, Antonio van Diemen (1593-1645).jpg
Nascimento 1593
Morte 19 de abril de 1645 (52 anos)
Jacarta
Cidadania Países Baixos
Ocupação explorador, político, economista

Antônio van Diemen (pt-BR) ou António van Diemen (pt) 159319 de abril de 1645) foi um governador colonial neerlandês.

Nascido em Culemborg, nos Países Baixos, filho de Meeus Anthonisz van Diemen e Christina Hoevenaar.[1] Em 1616, ele se mudou para Amsterdã, na esperança de melhorar sua fortuna como comerciante, no entanto ele não consegui e foi declarado falido. Depois de um ano, tornou-se empregado da Companhia Holandesa das Índias Orientais e navegou para Batavia, nas Índias Orientais Holandesas (atual cidade de Jacarta), capital das Índias Orientais Holandesas. Na viagem, o navio Mauricio acidentalmente navegou para a costa desconhecida da Austrália.[2]

O governador Jan Pieterszoon Coen considerou van Diemen um funcionário talentoso e em 1626 ele foi diretor-geral de comércio e membro do Conselho das Índias. Em 1630, ele se casou com Maria van Aelst. Um ano depois, ele retornou aos Países Baixos como almirante do navio Deventer.

Van Diemen é lembrado por seus esforços na exploração da Grande Terra Austral (Austrália), resultando no que foi chamado de "as viagens holandesas finais e mais ambiciosas do século".[3] A primeira viagem sob sua administração foi realizada três meses após sua chegada à Batávia, a partir do Cabo York, seus navios deveriam traçar as costas desconhecidas, mas o empreendimento terminou em fracasso, quando seu comandante foi morto por nativos na Nova Guiné e os navios retornaram. Em 1639, ele encomendou duas viagens ao norte, em busca das "Ilhas de Ouro e Prata" que os relatórios espanhóis colocavam no Pacífico Norte ao leste do Japão, e enviou Maarten Gerritsz Vries para explorar as costas da Coreia e da "Tartaria"; tais expedições também acabaram por ser infrutíferas.[3]

Em novembro de 1642, indo para o leste das Maurícias na latitude 44 e perdendo a costa sul do continente australiano, Tasman avistou terras no que é hoje a costa oeste da ilha da Tasmânia e seguiu a costa ao longo da costa sul e leste. Acreditando que ele havia encontrado um grande território, Tasman chamou o novo local de Terra de Van Diemen em homenagem a seu patrocinador.[4]

NotasEditar

  1. Diemen é uma pequena cidade perto de Amsterdam.
  2. Aparentemente, desembarcaram brevemente na península que termina em Northwest Cape, segundo Miriam Estensen. Discovery: The Quest for the Great South Land (1998:167).
  3. a b Ronald S. Love, Maritime Exploration in the Age of Discovery, 1415-1800 (2006:99).
  4. O nome "Terra de Van Diemen" foi mantido quando o colonização britânica lá começou em 1803. Tornou-se sinônimo de horror na Inglaterra por causa da severidade de seus assentamentos para os condenados, como Port Arthur e Macquarie Harbour. Ao nome foi atribuído tanto ódio que, quando se tornou uma colônia autônoma em 1855, um dos primeiros atos da nova legislatura foi mudar o nome para Tasmânia. O nome "Tasmânia" é preferido, porque "Terra de Van Diemen" está associado entre todas as nações à escravidão e à culpa, comentou John West na abertura de sua História da Tasmânia (Launceston: Dowling) 1852, vol I: 4). Mas o nome antigo permaneceu por muitos anos - os tasmanianos foram referidos como vandemonianos até a virada do século.

BilbiografiaEditar

  • Van der Kraan, Alfons. "Anthony van Diemen: From Bankrupt to Governor-General, 1593-1636", The Great Circle: Journal of the Australian Association of Maritime History, 26.2, (2004:3-23).
  • Van der Kraan, Alfons. "Anthony van Diemen: Patron of Discovery and Exploration, 1636-45", The Great Circle, Journal of the Australian Association of Maritime History, 27.1, (2005:3-33).
  •   Vários autores (1911). «Diemen, Anthony van». In: Chisholm, Hugh. Encyclopædia Britannica. A Dictionary of Arts, Sciences, Literature, and General information (em inglês) 11.ª ed. Encyclopædia Britannica, Inc. (atualmente em domínio público) 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.