Antonio Lante Montefeltro della Rovere (1737-1817)

Antonio Lante Montefeltro della Rovere (Roma, 17 de dezembro de 1737 - Roma, 23 de outubro de 1817) foi um cardeal italiano.

Antonio Lante Montefeltro della Rovere
Cardeal da Santa Igreja Romana
Pró-Prefeito do Arquivo Apostólico do Vaticano
Atividade eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 1 de janeiro de 1807
Mandato 1807-1816
Ordenação e nomeação
Cardinalato
Criação 8 de março de 1816 (in pectore)
22 de julho de 1816 (Publicado)

por Papa Pio VII
Ordem Cardeal-presbítero
Título Santos Ciríaco e Julita
Dados pessoais
Nascimento Roma
17 de dezembro de 1737
Morte Roma
23 de outubro de 1817 (79 anos)
Nacionalidade italiano
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Nascimento

editar

Nasceu em Roma em 17 de dezembro de 1737. De uma das principais famílias da aristocracia romana, originalmente de Pisa. Filho do duque Filippo Lante de Bomarzo e sua primeira esposa, Maria Virginia Altieri. Seu sobrenome também está listado como Lante Montefeltro della Rovere. Meio-irmão do cardeal Alessandro Lante Montefeltro della Rovere (1816). Sobrinho tataraneto do cardeal Marcello Lante (1606). Sobrinho-neto do cardeal Federico Marcello Lante (1743).[1]

Educação

editar

Estudou no colégio jesuíta de Turim; e no Collegio Clementino , Roma.[1]

Início da vida

editar

Entrou ao serviço da Cúria Romana como regente da Chancelaria Apostólica, e o Papa Clemente XIII o admitiu na prelatura romana como referendário em 24 de março de 1763. O Papa Clemente XIV autorizou seu tio-avô, o cardeal, a entregar, enquanto ele ainda era vivo, as abadias de Farfa e S. Salvatore Maggiore, onde desempenhou uma grande atividade pastoral. Governador de Benevento, 14 de dezembro de 1764 até 1771; na prática, cessou em 11 de junho de 1768, quando o exército do rei de Nápoles ocupou a cidade e seu território e distrito. Inquisidor em Malta, 1771-1777. Ao retornar de Malta, o Papa Pio VI o nomeou governador de Marche (Macerata) em 19 de julho de 1777; ocupou o cargo até 1785. Clérigo da Câmara Apostólica e presidente da Zecca, 14 de fevereiro de 1785; ocupou os cargos por trinta anos; depois, decano da Câmara Apostólica, 1801; voltou ao cargo após a restauração do governo papal em Roma, em 23 de setembro de 1814. Pró-prefeito do Arquivo do Vaticano antes da ocupação francesa de Roma (1807).[1]

Cardinalado

editar

Criado cardeal e reservado in pectore no consistório de 8 de março de 1816; publicado no consistório de 28 de julho de 1817; recebeu o chapéu vermelho em 31 de julho de 1817; e o título de Ss. Quirico e Giulitta, 1 de outubro de 1817.[1]

Morreu em Roma em 23 de outubro de 1817. Exposto na igreja de S. Nicocola da Tolentino, Roma, e enterrado na capela de sua família naquela igreja. Ele nomeou Monsenhor Domenico Attanasio o executor de seu testamento.[1]

Referências

  1. a b c d e «Antonio Lante Montefeltro della Rovere» (em inglês). cardinals. Consultado em 30 de novembro de 2022