Detentos do Rap

Detentos do Rap é grupo de rap brasileiro formado em 1994 por quatro integrantes condenados e presos na Casa de Detenção de São Paulo, na cidade de São Paulo, mais conhecida como Carandiru.

Detentos do Rap
Informação geral
Origem São Paulo, SP
País Brasil
Gênero(s) Rap, gangsta rap
Período em atividade 1994 - presente
Integrantes Maurício D.T.S.
Daniel Sancy
DJ Culina
Ex-integrantes Mano Reco
Mano Rony

Smith-E (2001-2003)

Página oficial http://detentosdorap.com.br/

Surgido num contexto do surgimento de uma cena de rap em presídios, como também o grupo 509-E, o Detentos do Rap passou a produzir suas músicas ainda na década de 1990[1] e abordavam a violência e as condições precárias dos presídios.[2] O primeiro álbum do grupo, intitulado Apologia ao Crime, foi lançado em 1998 pela gravadora Fieldzz. Foi gravado dentro da Casa de Detenção, num estúdio móvel. A coletiva de imprensa também ocorreu dentro do presídio.[3]

Mano Reco chega pra somar no segundo álbum, intitulado O Pesadelo Continua, que vendeu 20 mil cópias. O vocalista do grupo Denílson Vertelo, conhecido como Mano Reco, após lançar junto com o Detentos do Rap os álbuns Quebrando as Algemas do Preconceito, Ao Vivo, e Amor... Só de Mãe o Resto é Puro Ódio, converteu-se a uma igreja evangélica e deixou o grupo para seguir carreira solo com músicas no segmento evangélico. Posteriormente, Mano Reco retorna ao grupo e no final de 2010 lançam o seu sétimo álbum.[4][5]

Em 2012, como uma das bandas de rap mais notórias do Brasil, o grupo gravou o DVD ao vivo Eternamente, com as participações de Mano Brown, Dexter e a banda Detonautas Roque Clube.[6]

DiscografiaEditar

Ano Título
1998 Apologia ao Crime
1999 O Pesadelo Continua
2001 Quebrando as Algemas do Preconceito
2003 Ao Vivo
2004 Amor... Só de Mãe o Resto é Puro Ódio
2006 Deus do Morro
2010 O Juiz + Justo é o Tempo
2012 Eternamente

Referências

  1. «O bandido do rap». Folha de S.Paulo. Consultado em 11 de novembro de 2022 
  2. Mello, Carla Cristiane (2017). «Um Carandiru – memórias através do rap de cárcere». REVELL: Revista de Estudos Literários da UEMS. Consultado em 11 de novembro de 2022 
  3. «Compor na cadeia é fácil; duro é gravar CD». Folha de S.Paulo. Consultado em 11 de novembro de 2022 
  4. «Discografia do grupo». Rap na Veia. Consultado em 1 de Janeiro de 2011 
  5. «Entrevista com cantor Mano Reco». Razao gospel. Consultado em 16 de Janeiro de 2010 [ligação inativa]
  6. «Mano Brown, Dexter e Detonautas gravam DVD dos Detentos do Rap em São Paulo». UOL Música. Consultado em 11 de novembro de 2022 
 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Detentos do Rap