Andorinhão-preto

(Redirecionado de Apus apus)

A Apus apus, comummente conhecida como andorinhão-preto[2], é uma espécie de ave da família dos Apodídeos.[3]

Andorinhão-preto
Apus apus -Barcelona, Spain-8 (1).jpg
Classificação científica edit
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Apodiformes
Família: Apodidae
Gênero: Apus
Espécies:
A. apus
Nome binomial
Apus apus
Apus apus distribution map.png
  Reprodução
  Inverno
Sinónimos
  • Hirundo apus Linnaeus, 1758
  • Cypselus apus

Nomes comunsEditar

Dá ainda pelos seguintes nomes comuns: gaivão,[4] pederneira,[5] pedreiro,[6] zilro[7], zirro[8] e guincho[9] (não confundir com as espécies Chroicocephalus ridibundus e Pandion haliaetus, que consigo partilham este nome comum).

CaracterísticasEditar

 
Apus apus.
 
Apus apus .

O andorinhão-preto destaca-se principalmente pela plumagem integralmente, com as coberturas infra-alares de coloração igualmente escuras, asas falciformes.[10] Destaca-se pelo seu canto, um trisso ruidoso, que facilita a sua detecção e que dá origem aos nomes onomatopaicos zirro e zilro, pelos quais também é conhecido.[11]

Tem uma silhueta que lembra a duma andorinha, sendo certo que, especialmente pelo tamanho, a distinção entre as duas espécies é sensivelmente fácil de se fazer.[11] Assemelha-se, ainda, ao andorinhão pálido (Apus pallidus), especialmente em contextos de baixa luminosidade, em que não seja possível divisar a coloração da plumagem com rigor.[10]


De acordo com estudos recentes, o andorinhão-preto chega a passar 99% do seu tempo, fora da época de acasalamento, no ar, o que totaliza 10 meses de voo.[12]

Distribuição geográficaEditar

Nidifica em cavidades e recantos, geralmente em edifícios.[11] É uma ave migradora, que constrói os ninhos em toda a Europa e inverna em África.

PortugalEditar

O zilro trata-se duma espécie estival, pelo que se encontra presente em Portugal Continental de Março a Outubro.[10] Muitos dos espécimes que veraneiam em Portugal, permanecem transitoriamente, no ensejo da travessia para o Norte da Europa.

Em todo o caso, em Portugal também há expressivas populações residentes, que privilegiam os núcleos urbanos de média e grande dimensão, como locais de nidificação.[11] Em todo o caso também se têm encontrado algumas colónias de zilros em aldeias no Norte do país.[10]

Ver tambémEditar

Referências

  1. BirdLife International (2014). «Apus apus». IUCN Red List of Threatened Species. 2014: e.T22686800A62552970. doi:10.2305/IUCN.UK.2014-2.RLTS.T22686800A62552970.en 
  2. Infopédia. «andorinhão-preto | Definição ou significado de andorinhão-preto no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de junho de 2021 
  3. «Página de Espécie • Naturdata - Biodiversidade em Portugal». Naturdata - Biodiversidade em Portugal. Consultado em 16 de junho de 2021 
  4. Infopédia. «gaivão | Definição ou significado de gaivão no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de junho de 2021 
  5. Infopédia. «pederneira | Definição ou significado de pederneira no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de junho de 2021 
  6. Infopédia. «pedreiro | Definição ou significado de pedreiro no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de junho de 2021 
  7. Infopédia. «zilro | Definição ou significado de zilro no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de junho de 2021 
  8. Infopédia. «zirro | Definição ou significado de zirro no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de junho de 2021 
  9. Infopédia. «guincho | Definição ou significado de guincho no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de fevereiro de 2022 
  10. a b c d «Andorinhão-preto (Apus apus)». www.avesdeportugal.info. Consultado em 16 de junho de 2021 
  11. a b c d Cabral, M.J. (2005). Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal. Lisboa: Instituto da Conservação da Natureza. 660 páginas. ISBN 972-775-153-9 
  12. «Andorinhão-preto (Apus apus) chega a voar por 10 meses seguidos». Notícia Alternativa. 27 de outubro de 2016. Consultado em 27 de outubro de 2016. Arquivado do original em 28 de outubro de 2016 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Andorinhão-preto
  Este artigo sobre Aves, integrado ao Projeto Aves, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.