Abrir menu principal

A aquisição de uma empresa é a operação pela qual uma sociedade é absorvida por outra, que lhe sucede em todos os direitos e obrigações. Na aquisição, a sociedade adquirida pode deixar de existir, hipótese em que ocorrer a incorporação[1], ou pode ocorrer de a empresa adquirida continuar com personalidade jurídica própria, quando ocorre a aquisição propriamente dita. O termo em inglês é "Acquisition".[2]

A aquisição é um dos tipos mais comuns de "operações societárias" - juntamente com as fusões, incorporações e cisões.[3]

Tipos de Aquisições de EmpresasEditar

A aquisição de uma empresa pode acontecer de forma:[4]

  • Horizontal, quando a empresa adquirida é do mesmo ramo de negócios ou [5]
  • Vertical, aquisição de uma empresa em estágio diferente do mesmo processo produtivo, ou [6]
  • Conglomerada, quando a empresa objeto de aquisição é de uma diferente área de atuação.

Motivos para Adquirir uma Empresa (Vantagens do crescimento Inorgânico)Editar

Uma empresa pode ter várias razões para adotar um programa de fusões e aquisições:[7][8][9]

  • Obter ganhos de escala. Em muitos setores de negócios, é possível que a sobrevivência só seja possível com grandes escalas de produção ou de prestação de serviços. A consolidação das empresas dentro de vários setores econômicos é uma demonstração clara desta motivação.
  • Ter acesso a novas tecnologias, processos, recursos complementares ou mercados.
  • As sinergias, isto é, ganhos devidos aos processos em comum, do ponto de vista operacional, financeiro ou administrativo sejam relevantes.
  • Tempo e custo. É possível, também, que a aquisição seja uma forma mais barata e rápida de expansão em lugar da construção de novas unidades de negócio.
  • Economia de impostos derivada de "colchões" tributários da empresa adquirida.
  • Percepção de que os ativos da empresa adquirida estão subavaliados ou subutilizados.
  • Acesso a novos clientes ou canais de distribuição.
  • Reduzir a concorrência
  • Expansão a novos mercados [10]
  • Excesso de fundos por parte do adquirente, sendo que, em vez de distribuí-los a seus acionistas, resolve comprar outros negócios, talvez em indústrias menos amadurecidas, para dinamizar seu crescimento, conforme a matriz de BCG

Referências

  1. «Aquisição de empresas no Brasil». Jusbrasil 
  2. Investopedia.com (17 de novembro de 2003). «Acquisition». Investopedia (em inglês) 
  3. «Operações societárias - Comercial - Âmbito Jurídico». www.ambitojuridico.com.br. Consultado em 7 de agosto de 2018 
  4. «Firms: Horizontal, Vertical and Conglomerate Integration». Your Article Library (em inglês). 3 de abril de 2014 
  5. «Glossário Aquisição horizontal - Foregon». www.foregon.com. Consultado em 31 de julho de 2018 
  6. «Glossário Aquisição vertical - Foregon». www.foregon.com. Consultado em 31 de julho de 2018 
  7. «Mergers and Acquisitions: Reasons to Buy - dummies». dummies (em inglês) 
  8. Renaud, Rob (28 de dezembro de 2017). «Why do companies merge with or acquire other companies?». Investopedia (em inglês) 
  9. Kestenbaum, Richard. «This Is Why Companies Make Acquisitions». Forbes (em inglês) 
  10. «4 Reasons to Acquire a Company Rather Than Grow Organically». Channel Futures. 31 de outubro de 2016