Ardabúrio (cônsul em 427)

Flávio Ardabúrio (em latim: Flavius Ardaburius; em grego medieval: Φλάβιος Ἀρδαβούριος; romaniz.: Flávios Ardaboúrios) foi um oficial bizantino de origem alana dos séculos IV e V, ativo durante o reinado do imperador Teodósio II (r. 408–450). Era pai de Áspar e avô de Ardabúrio, Hermenerico e Júlio Patrício. Em 421, como mestre dos soldados (estratego) no Oriente, comandou um exército quando a guerra eclodiu com o Império Sassânida do Vararanes V (r. 420–438). Cruzou à Armênia, onde pilhou Arzanena, e marchou rumo a Mesopotâmia para invadir a Pérsia e sitiar Nísibis. Sua vitória foi anunciada em Constantinopla em setembro. Em 422, com a ajuda de Maximino, emboscou e matou sete generais persas. Com o findar da guerra, foi substituído por Procópio e chamado a Constantinopla, onde serviria como mestre dos soldados na presença.[1]

Ardabúrio
Detalhe do Missório de Áspar. Ardabúrio aparece no topo ao lado de Plinta
Nascimento século IV
Morte Após 427
Nacionalidade Império Bizantino
Etnia Alana
Filho(a)(s) Áspar

Em 424, foi enviado com Áspar pelo imperador para derrubar o usurpador João (r. 423–425) na Itália. Velejou de Salona, mas caiu nas mãos do inimigo dado o mau vento. Embora bem tratado em Ravena, conseguiu subverter alguns dos oficiais de João. Áspar foi então capaz de capturar a cidade e derrotá-lo em 425. Após seu retorno a Constantinopla, quiçá ainda servindo como mestre dos soldados, foi feito cônsul em 427 com Hiério. Foi descrito no missório de seu filho segurando um cetro. Se sabe que o futuro imperador Marciano (r. 450–457) o serviu como doméstico antes de servir a Áspar.[2]

Referências

  1. Martindale 1980, p. 137-138.
  2. Martindale 1980, p. 138.

BibliografiaEditar

  • Martindale, J. R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1980). «Fl. Ardabur 3». The Prosopography of the later Roman Empire - Volume 2. A. D. 395 - 527. Cambrígia e Nova Iorque: Imprensa da Universidade de Cambrígia