Arquivo pessoal

Arquivos pessoais são aqueles considerados de caráter pessoal ou privado, acumulados por pessoas físicas[1]. Trazem ao presente acontecimentos do passado e que poderão se tornar fontes de pesquisas para o futuro. Esses arquivos podem auxiliar na construção da memória de um indivíduo e até de uma sociedade.

Segundo Heloísa Liberalli Bellotto,[2] os documentos que são preservados para além da vida da pessoa constituem seu testemunho, podendo ser aberto à pesquisa pública. As pesquisas recentes ainda apontam este tipo de arquivo como objeto de estudo pouco recorrente, fato relacionado também à escassez de produção bibliográfica voltadas à criação, manutenção, preservação e recuperação dos documentos que os compõem, ou seja, sua gestão.[3]

Exemplo da Fundação Casa de Rui BarbosaEditar

No Brasil, a Fundação Casa de Rui Barbosa, localizada no Rio de Janeiro, abriga arquivos pessoais de escritores e intelectuais brasileiros, contemplando desde manuscritos inéditos e cartas a móveis, máquinas de escrever, roupas e até automóveis do próprio Rui Barbosa.

A parte dos acervos que contempla somente registros e documentos é denominada acervos literários. Entre os autores com acervos disponíveis na Fundação estão Clarice Lispector, Cruz e Sousa, Rubem Braga e Vinicius de Moraes.

Dependendo do documento, os acervos estão organizados por pastas com: correspondência, produção intelectual do titular, produção intelectual de terceiros, documentos pessoais, diversos, documentos complementares e recortes. Alguns ainda contêm fotografias.

Dentro dessa área de pesquisa, destaca-se o Manual de Organização do Acervo Literário de Erico Verissimo, realizado por Maria da Glória Bordini e equipe, que fornece descrições detalhadas que foram feitas para a coleta, acondicionamento, arquivamento e catalogação dos arquivos, alguns dos quais são: originais, publicações na imprensa, esboços e notas, ilustrações.[4]

Referências

  1. «O Que São Arquivos Pessoais». CPDOC FGV. Consultado em 3 de junho de 2021 
  2. Bellotto, Heloísa Liberalli (2006). Arquivos Permanentes: Tratamento Documental. Rio de Janeiro: FGV. ISBN 9788522510054 
  3. Lunardelli, Rosane; Molina, Letícia; Souza, Rosemarilde (2013). «Arquivos pessoais: uma pesquisa bibliográfica a respeito do tema». Arquivologia: saberes docentes e discentes. Londrina: Eduel. ISBN 978-85-7216-665-2 
  4. Bordini, Maria da Glória (2006). «Acervos Literários e Catálogos Digitais». Revista Texto Digital UFSC (1). Consultado em 3 de junho de 2021