Abrir menu principal

Arri Alexa (estilizado como ALEXA) é um sistema de câmeras digitais que gravam com estilo do filme. Foi feito pela empresa Arri e introduzido pela primeira vez em abril de 2010. É a câmera profissional mais usada na indústria cinematográfica de Hollywood.[1]

A câmera marca a primeira grande transição de Arri em cinematografia digital após pequenos esforços anteriores, como o Arriflex D-20 e D-21. Possui modularidade, PL mount lenses, um sensor CMOS de tamanho Super 35 (2K) gravando até 2880 × 2160 de resolução e o modelo Alexa 65 (6K) tem resolução de até 6560 x 3102, ambos suportam dados em propriedades de vídeos não comprimido ou raw (ARRIRAW).[2]

Visão geralEditar

A câmera é equipada com um cardencoder SxS a bordo que pode gravar em qualquer Rec. 709 ou Log-C para ProRes 422 ou ProRes 444 codecs, bem como dnxhd em resolução de 1080p.[3] Com um pagamento, os proprietários de câmeras Alexa pode comprar um software "chave" que irá desbloquear a capacidade da câmera para gravar até 120 fps em ProRes 422 HQ.[4]

A câmera é projetada para uso em filmes de alto orçamento, metragens, programas de televisão e comerciais e é amplamente visto como a resposta da Arri para a crescente aceitação da câmera Red One, juntamente com câmeras de baixa resolução, como a Sony CineAlta (35 mm, 1080p ), Panavision Genesis (35 milímetros, 1080p), Thomson Viper FilmStream (2/3 ", 1080p) para filmar longas-metragens.

Gama de modelosEditar

A gama de modelos foi expandido através da vida da câmara. Até 2012, havia cinco modelos básicos de câmeras Alexa:

AlexaEditar

A primeira câmera da família de produtos Alexa. Introduzido em abril de 2010.

Alexa PlusEditar

O Alexa Plus adiciona controle remoto sem fio integrada, o Sistema ARRI Lens Dados (LDS), saídas adicionais, sincronização de lente para 3D, e a posição embutido e sensores de movimento.

Alexa Plus 4:3Editar

O Alexa Plus 4:3 adiciona um controle remoto sem fio integrado, o Sistema ARRI Lens Dados (LDS), saídas adicionais, sincronização de lente para 3D, e a posição embutido e sensores de movimento e um sensor 4:3 tornando-o ideal para a cinematografia anamórfica.

Alexa MEditar

O Alexa M tem sua unidade de imagem e processamento dividido em duas partes para ser pequena, compacta e leve para plataformas 3D e outros usos onde o tamanho é uma preocupação.

Alexa StudioEditar

O Alexa Studio possui um visor óptico, disparador mecânico, e um sensor 4:3 tornando-o também ideal para a cinematografia anamórfica.

Alexa XTEditar

Em fevereiro de 2013,[5] a série foi renovada como Alexa XT (XT permanente para a tecnologia estendida). Esta gama é atualizado versões das câmeras originais Alexa, que são equipados com um chamado módulo XR, que substitui o módulo SxS nas câmeras, e permite a gravação RAW direto sem a necessidade de um gravador externo. Este módulo registros em drives SSD dedicados. Outras melhorias são uma unidade de filtro ND interno, um sensor 4:3 e um ventilador de refrigeração mais tranquilo. A faixa de acordo compreende o Alexa, o Alexa XT, o Alexa XT M, o Alexa XT Plus, o Alexa XT Studio, e o Alexa Fiber Remote. Câmeras existentes podem ser atualizados com o módulo XR para a gravação em RAW interno.[6]

Alexa 65Editar

Em 21 de setembro de 2014 no Cinecconvention em Munique, Arri anunciou a Alexa 65[7], uma câmera de cinema digital de 65 milímetros. A câmera está disponível para só para locação, como os da concorrente Panavision. Arri anunciou detalhes da câmera em seu website Arri Aluguer Grupo:

No centro do Alexa 65 está o sensor de A3X; o maior sensor de imagem em movimento de alto desempenho disponíveis no mercado hoje. O sensor tem uma área de imagem ativa de 54,12mm x 25,59mm, que é ainda maior do que a abertura do filme de câmera de ARRI 765 65 mm.

- ARRI Rental Group, arrirentalgroup.com

Alexa MiniEditar

Em 24 de fevereiro de 2015 Arri Alexa anunciou o Mini. Tem o mesmo sensor como as outras câmaras da Alexa. Possui em gravação da câmera para CFast cartões 2.0, 200 FPS e gravação em resolução 4K.

SensorEditar

O sensor da Alexa ALEV III tem 3392 × 2200 pixels efetivos para gerar uma imagem, no entanto, só 2880 × 2160 pixels são usados ​​para a gravação no Alexa Studio e M no modo 4:3, e 2880 × 1620 pixels são usados ​​para a gravação nas regulares Alexa e outros modelos em modo 16:9, o resto são utilizados para olhar ao redor no visor.

Mídia de gravaçãoEditar

Arri Alexa pode gravar até 1920 × 1080 em ProRes 422, ProRes 4444 ou 444 sobre cartões SxS ou 2880 × 1620 ARRIRAW para dispositivos de gravação externos. Arri Alexa Firmware 7 aumenta a resolução sobre os cartões SxS para 2k ProRes 4444 (anteriormente 1080p).

ArriRawEditar

ArriRaw é um codec com compressão sem perda de dados semelhante ao CinemaDNG que contém inalterada as informações do sensor Bayer, o fluxo de dados a partir da câmara podem ser gravados via T-link com gravadores de certificados, como os do Codex Digital ou Cineflow. O formato ArriRaw (juntamente com os outros formatos graváveis) contém metadados estático e dinâmico. Estes são armazenados no cabeçalho do arquivo e pode ser extraído com a ferramenta web livre metavisor[8] ou com o aplicativo Extract Meta fornecida por Arri. De particular importância para os efeitos visuais são os metadados da lente, os quais são armazenados apenas quando o sistema de lentes de dados Arri (LDS) é suportado pela lente utilizada.

RecepçãoEditar

De acordo com o diretor de fotografia Roger Deakins, a faixa tonal do Alexa, o espaço de cor e latitude excede as capacidades do filme. "Esta câmara nos trouxe a um ponto onde digital é simplesmente melhor", diz Deakins.[9] Deakins usou a câmera para filmar o filme James Bond Skyfall.

No BrasilEditar

No Brasil, a câmera se tornou famosa, após ser divulgado pela Rede Record que iria usa-la para equipar os seus recem construídos estúdios de producão em redoma, no RecNov, centro de dramaturgia no Rio de Janeiro.

A estreia da câmera em uma emissora brasileira se deu na minissérie José do Egito que recebeu crítica positiva no mundo todo pela qualidade técnica alcançada.

Em 2014, a emissora voltou a utiliza-las, na producão da novela das 22h, Pecado Mortal, escrita por Carlos Lombardi, que tambem teve alto investimento na producão, atualmente, as câmeras são usadas na producao da novela Os Dez Mandamentos.[10][11]

Referências

  1. Robert Hardy (16 de setembro de 2015). «Here's Why ARRI Cameras Are So Popular with Professional Cinematographers». No Film School (em inglês). Consultado em 9 de janeiro de 2016 
  2. «ARRIRAW» (em inglês). Arri. Consultado em 14 de março de 2015. Arquivado do original em 23 de novembro de 2011 
  3. «Alexa to capture native Quick Time files» (em inglês). BroadCastNow. Consultado em 14 de março de 2015 
  4. «ALEXIA product updates» (em alemão). Arri de. Consultado em 14 de março de 2015 
  5. «ARRI Group: News» (em inglês). ARRI. Consultado em 16 de março de 2015 
  6. «ARRI Group: Cameras» (em inglês). ARRI. Consultado em 16 de março de 2015. Arquivado do original em 9 de fevereiro de 2014 
  7. «Rumor No More: ARRI Reveals Their 6K 65mm Cinema Camera, the ALEXA 65» (em inglês). NoFilmSchool. Consultado em 16 de março de 2015 
  8. «metavisor - Free browser viewer for Arri Raw metadata» (em inglês). Open DCI. Consultado em 16 de março de 2015. Arquivado do original em 18 de junho de 2013 
  9. «American Cinematographer: Time Bandit» (em inglês). The ASC. Consultado em 16 de março de 2015 
  10. «Alexandre Avancini aceita desafio e transforma José do Egito em obra-prima». R7. Consultado em 25 de março de 2015 
  11. «'José do Egito' estreia com orçamento de R$ 850 mil por capítulo». Terra. Consultado em 25 de março de 2015 

Ligações externasEditar