Artéria temporal superficial


Na anatomia humana, a artéria temporal superficial é uma das artérias principais da cabeça. Surge da artéria carótida externa e bifurca na artéria temporal superficial e na artéria maxilar.

Artéria temporal superficial
Superficial temporal artery.PNG
Dissecação da parte direita do pescoço, mostrando as artérias carótida e subclávica.
Nome em Latim arteria temporalis superficialis
Gray's subject # 559
Vasculariza templo, escalpo
Origem Artéria carótida externa
Ramos Artéria transversa facial
Artéria temporal medial
Ramo anterior auricular
Ramo frontal
Ramo parietal
Veia Veia superficial temporal
Dorlands/Elsevier a_61/12156279

Seu pulso é o palpável e superior ao arco zigomático, anterior e superior ao tragus.

CursoEditar

A artéria temporal superficial, a menor dos dois ramos terminais da carótida externa, aparece, de sua direção, ser a continuação daquele vaso sanguíneo.

Começa na substância da glândula parótida, atrás do pescoço e da mandíbula, e cruza em cima da raiz posterior do processo zigomático do osso temporal; aproximadamente 5 cm. sobre este processo divide em dois ramos, um frontal e um parietal.

RelaçõesEditar

Como cruza o processo zigomático, está coberta pelo músculo anterior auricular, e por um fascia denso; é cruzada pelo ramo temporal e zigomático do nervo facial e uma ou duas veias, e é acompanhado pelo nervo aurículo-temporal que fica atrás disto.

A artéria temporal superficial faz anastomose com a artéria supra-orbital da artéria carótida interna (entre outras).

Relevância clínicaEditar

A artéria temporal superficial é freqüentemente afetada em arterites temporaia e é usada para biopsia se a diagnose é suspeitada. É uma das artérias que podem ser puncionada na realização da gasometria arterial.

  Este artigo sobre sistema circulatório é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Imagens adicionaisEditar

Ligações externasEditar