Abrir menu principal
Ary Dias
Informação geral
Nome completo Ary Santos Dias
Nascimento 11 de julho de 1952 (67 anos)
Local de nascimento Salvador, BA
País  Brasil
Ocupação(ões) Baterista e percussionista e compositor

Ary Dias é um baterista, percussionista e compositor de música popular brasileira.[1] ARY DIAS – Percussionista e baterista

BiografiaEditar

Baiano da cidade de Salvador, o percussionista e baterista Ary Dias tem formação clássica, cursou a Universidade Federal da Bahia e integrou, durante quatro anos, a Orquestra Sinfônica da Bahia.

Habilitado em música contemporânea, foi um dos fundadores do Grupo de Música Contemporânea da UFBA, ao lado dos músicos e compositores Ernest Widmer, Lindenberg Cardoso, Piero Bastianelli e Agnaldo Ribeiro. Com o professor Walter Smetak – suíço radicado na Bahia, músico, pesquisador e docente da UFBA – trabalhou no projeto de pesquisa dos Microtons.

Fundou também um dos primeiros grupos instrumentais de Salvador, a Banda do Companheiro Mágico, e com o Trio Elétrico Armandinho, Dodô e Osmar foram dez anos de carnaval de rua, seis discos gravados, tornando-se então pioneiro ao colocar a primeira bateria no alto de um Trio Elétrico.

Convidado por Moraes Moreira, foi para o Rio de Janeiro integrar sua banda que já contava com Dadi, Mu, Armandinho e Gustavo Schroeter. Nascia o grupo A Cor do Som, banda de reconhecido sucesso nacional e internacional, com dez discos gravados e vários prêmios conquistados – entre eles, o Prêmio Sharp 1997 de melhor grupo de música popular e o Prêmio Tim 2006 de melhor grupo de canção popular. Ao longo da carreira, Ary integrou as bandas de Gilberto Gil, Jorge Benjor e Rita Lee, além de ter gravado com Caetano Veloso, Chico Buarque, Erasmo Carlos, Luis Melodia, Carlinhos Brown e Tools Thilemans, entre outros.

Atualmente, é professor de percussão de música popular no ‘Centro Musical Antonio Adolfo’, a mais conceituada escola de música do Rio de Janeiro.. Atuou durante quatro anos no ‘Centro de Artes do Terreirão’ - CAT, um projeto cultural sem fins lucrativos, e dois anos na ‘Escola de Percussão Batucadas Brasileiras’, projeto do Instituto Bandeira Branca. Ministra cursos e oficinas em todo o Brasil e no exterior como: ‘VI, VII e XIII Festival Música na Ibiapaba’, em Viçosa do Ceará; ‘Semana da Música 2009’’ na Escola de Música da Universidade do Rio Grande do Norte; organizou em 2009 a ‘Oficina de Percussão Nordestina’ com Francisco Vanildo Costa Franco; em 2006 e 2007 foi a Paris, França, para ministrar oficinas de percussão de música popular brasileira.

Em 2008 lançou seu primeiro CD solo “Tocar” gravado em Fort Lauderdale, nos Estados Unidos, sob a batuta de ninguém menos que Jim Gaines, produtor do Santana e em 2009 gravou com o também percussionista Sidinho Moreira, o CD Bonfim/Nilópolis. Em 2012, lançou com o pianista Fernando Moura o CD ‘CosmeDamião’. Desde então a dupla tem se apresentado por todo o Brasil com enorme sucesso. Em 2014 comemoraram duplamente a chegada do segundo CD ‘Pros meninos’, e o sucesso de uma mini turnê na França, Europa.

Agora, em 2017, além de diversos shows e workshops, participou como baterista e percussionista da turnê ‘Juntos’ de Plácido Domingos Jr e a soprano Nádia Figueiredo, e lança em 2018 com os companheiros de longa estrada, o CD comemorativo dos 40 Anos do grupo A Cor do Som.

DiscografiaEditar

  • CosmeDamião
  • Pros Meninos
  • Tocar
  • Bonfim Nilópolis
  • A Cor do Som Acústico
  • A Cor do Som ao vivo no circo
  • O som da Cor
  • Intuição
  • As quatro fases do amor
  • Frutificar
  • Ao vivo em Montreux
  • Alto Astral

Notas e Referências

  1. «Biografia no Cravo Albin». dicionariompb.com.br. Consultado em 19 de janeiro de 2013 
  Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.