Ataque insurgente em Camp Bastion em 2012

O ataque de setembro de 2012 à Camp Bastion foi um raide lançado por insurgentes talibãs a base britânica de Camp Bastion, na província afegã de Helmand, na noite de 14 de setembro de 2012. [1] A base abrigava militares britânicos, estadunidenses e tonganeses no momento do ataque. Os combatentes talibãs mataram dois fuzileiros navais estadunidenses e destruíram ou danificaram severamente oito Harriers AV-8B do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos antes que toda a força invasora fosse morta ou capturada. O Talibã alegou que a incursão ocorreu em represália ao filme Innocence of Muslims e também afirmou que o Príncipe Harry, que estava na base na época, era o alvo do ataque. [2] Para substituir as aeronaves perdidas no ataque, o Corpo de Fuzileiros Navais enviou 14 Harriers para o Afeganistão 36 horas após a incursão. [3]

Marines do VMA-211 em Camp Bastion, duas semanas antes do ataque.

O ataque foi descrito como "a pior perda de poder aéreo dos Estados Unidos em um único incidente desde a Guerra do Vietnã". [4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Rubin, Alissa (16 de setembro de 2012). «Audacious Raid on NATO Base Shows Taliban's Reach». The New York Times 
  2. «Taliban take credit for British base attack». Al Jazeera. 15 de setembro de 2012 
  3. Majumdar, Dave (10 de outubro de 2012). «Marines surged Harriers to Afghanistan within 36 hours of attack». The DEW Line 
  4. John D. Gresham (20 de setembro de 2012). «Attack on Camp Bastion: The Destruction of VMA-211». Defense Media Network