Abrir menu principal
Moradias sustentáveis alimentadas com energia solar fotovoltaica no bairro ecológico Solarsiedlung, na localidade de Vauban (Friburgo, Alemanha).
Instalação fotovoltaica no telhado de uma casa.

O autoconsumo fotovoltaico refere-se à produção individual de electricidade para consumo próprio, através de sistemas solares fotovoltaicos. Esta prática pode ser levada a cabo pelo sector residencial, comercial ou industrial, desde que a electricidade produzida seja utilizada pelos próprios.

Graças aos avanços da tecnologia fotovoltaica e à economia de escala deste sector, os custos da energia solar fotovoltaica baixaram significativamente nos últimos anos e de uma forma constante[1]. Hoje em dia o preço médio da energia eléctrica produzida por um sistema fotovoltaico para autoconsumo com ligação à rede, tendo em consideração que este produzirá electricidade durante pelo menos 20 anos, é mais baixo do que o preço da electricidade comprada à rede pública.[2][3]

Clasificação de sistemas de autoconsumo fotovoltaicoEditar

Os sistemas de autoconsumo classificam-se em sistemas isolados/autónomos ou com ligação à rede eléctrica.

Sistemas IsoladosEditar

O sistema isolado utiliza-se para produzir electricidade que ou se consome instantaneamente ou se armazena numa bateria para um posterior uso.

Sistemas ligados à redeEditar

Um sistema ligado à rede permite despejar o excesso de eletricidade produzida, que não é consumida, na rede eléctrica. Em vários países, nomeadamente Dinamarca, Holanda, Bélgica, Reino Unido, Alemanha e Itália, onde o Net Metering é já uma realidade, existem políticas de incentivos directos ou indirectos para os sistemas fotovoltaicos de autoconsumo. Nestes países a electricidade produzida que não é consumida, pode ser injectado na rede eléctrica e o seu valor é pago através de tarifas ou de créditos. Em Portugal o Governo lançou nova legislação para legalizar esta situação.

 
Instalação autoconsumo conectada à rede
 
Instalação fotovoltaica sobre o telhado de uma casa na Alemanha.