Avenida Engenheiro Caetano Álvares

Avenida Engenheiro Caetano Álvares
Trecho da avenida na Casa Verde
Nomes anteriores Av. Fundo de Vale do Mandaqui
Inauguração 1970
Extensão aprox. 7.200 m
Início Av. Otaviano Alves de Lima (Marginal Tietê)
Subprefeitura(s) Casa Verde/Cachoeirinha
Santana/Tucuruvi
Distrito(s) Limão, Casa Verde, Santana e Mandaqui
Bairro(s) Limão, Jardim das Laranjeiras, Parque Peruche, Imirim, Chora Menino, Santa Teresinha, Santana, Lauzane Paulista e Mandaqui
Fim Rua Irmão João Creff

A avenida Engenheiro Caetano Álvares é uma importante via de ligação da cidade de São Paulo. Localiza-se nos distritos do Limão, Casa Verde, Santana e Mandaqui, na zona norte. Foi construída em 1970.

Essa avenida encontra-se com importantes vias da Zona Norte, como Avenida Casa Verde, Avenida Imirim, Avenida Mandaqui, Avenida Direitos Humanos, Rua Conselheiro Moreira de Barros e Rua Voluntários da Pátria. Inicia-se na Avenida Otaviano Alves de Lima (Marginal Tietê).

Sobre Caetano ÁlvaresEditar

O engenheiro João Caetano Alvares Jr. nasceu em 18 de dezembro de 1894. Formou-se pela Escola Politécnica em 1917. Foi responsável por obras de grande vulto em concreto armado, especialmente pontes, obras hidáulicas, viadutos da Via Anchieta, pontes sobre o Rio Tietê e Paranapanema, usinas hidrelétricas (Iapuçu e Salto Grande). Como Secretário de Obras da Prefeitura de São Paulo no governo Jânio Quadros, realizou o chamado “Plano de Emergência”, que visava a melhorar especialmente as ruas da periferia e dos meios de acesso aos bairros, com obras de pavimentação.

Também foi Conselheiro do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico de abril de 1961 a julho de 1962. Foi presidente do Sindicato das grandes estruturas e presidente do Conselho do Departamento de Águas e Esgotos. Na iniciativa privada, organizou em 1945 a Pedreira Cantareira, da qual foi superintendente até falecer, em 1967.[1]

Pontos de InteresseEditar

LazerEditar

Em fevereiro de 2009 foi feita a revitalização da avenida. Depois desse processo que custou R$ 400 mil, tornou-se mais um espaço de lazer para os moradores da região.

Com uma pista de mais de 2,2 quilômetros no canteiro central, áreas com equipamentos de ginástica e 30 árvores plantadas, a avenida agora também é frequentada à noite, graças à instalação de novos postes de iluminação.[2].

Estas mudanças atraíram muitos empreendores a abrirem seus negócios por ali. Em 2017, a avenida já conta grande variedade de bares e restaurantes de diferentes tipos em grande parte de sua extensão, provendo estabelecimentos de qualidade aos moradores da região.

Fotos da Avenida

       
Início da avenida e ligação com a Marginal Tietê Fim da avenida no Mandaqui Lazer na avenida Fórum de Santana entre os distritos de Casa Verde e Limão
 
Localização da avenida

Referências

  1. «Consulta Histórico de Logradouros». Consultado em 4 de julho de 2009 
  2. «Avenida revitalizada atrai pessoas na zona norte de SP.». Consultado em 13 de julho de 2009 
  Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.