Abrir menu principal

Ayyám-i-Há refere-se a um período de 5 dias intercalares no Calendário bahá'í, onde os Bahá'ís celebram o Festival de Ayyám-i-Há.[1] Os quatro ou cinco dias ocorrem entre o 18º e o 19º mês do calendário, de 26 de fevereiro a 1 de março e permite que o calendário Bahá'í fique sincronizado com o ano solar com os 365 dias, e 366 dias quando é ano bissexto.

HistóriaEditar

O Báb, o precursor da Fé Bahá'í, instituiu o Calendário Badí (que é o mesmo calendário Bahá'í) no Livro Sagrado o Bayán, com 19 meses de 19 dias cada, e um período de dias intercalares para completar os dias do calendário solar. A introdução de dias intercalares foi marcado historicamente por uma quebra dos costumes do Islã, devido ao fato de que a prática de intercalação havia sido especificamente proibida no Corão.[2] O Báb, entretanto não especificou onde os dias intercalares ficariam.[2] Bahá'u'lláh, que se declarou o Prometido do Báb e das demais religiões, confirmou a adoção do calendário Badi no Kitáb-i-Aqdas, o livro das leis.[2] Ele estabeleceu os dias intercalares antes da Festa de Dezenove Dias de `Alá, os 19º e último mês,[3] e deu o nome de "Ayyám-i-Há" para os dias intercalares ou "Dia de Deus".[4]

Simbolismo e celebraçãoEditar

Os dezenove meses do calendário Bahá'í possuem nomes de atributos de Deus[5] Ayyám-i-Há, que significa os Dias de Deus ou Dias de Há é uma letra árabe correspondente ao H é uma celebração da transcendência de Deus desde que "Ha" foi usado como um símbolo para essência de Deus na literatura Bahá'í.[2][6] No sistema arábico abjad, a letra Há possui o valor numérico de 5, que é igual ao valor máximo de números de dias no Ayyam-i-Há.[2]

Durante o festival de Ayyám-i-Há, os Bahá'ís são encorajados a celebrar Deus e Sua unicidade demonstrando amor, cortesia e unidade. Eventualmente os Bahá'ís oferecem e aceitam presentes, como no natal. Também é um tempo que pode ser especialmente utilizado para caridade e boas ações, e os Bahá'ís frequentemente participam de vários projetos de natureza humanitária.[7]

Referências

  1. Esslemont, J.E. (1980). Bahá'u'lláh and the New Era 5th ed. Wilmette, Illinois, USA: Bahá'í Publishing Trust. pp. 178–179. ISBN 0-87743-160-4 
  2. a b c d e Taylor, John (1 de setembro de 2000). «On Novelty in Ayyám-i-Há and the Badí Calendar». bahai-library.org. Consultado em 24 de setembro de 2006 
  3. Bahá'u'lláh (1992) [1873]. The Kitáb-i-Aqdas: The Most Holy Book. Wilmette, Illinois, USA: Bahá'í Publishing Trust. pp. 24–25. ISBN 0-85398-999-0 
  4. [1]
  5. National Spiritual Assembly of the Bahá'ís of the United States (5 de março de 2006). «The Bahá'í Calendar». bahai.us. Consultado em 24 de setembro de 2006 
  6. Universal House of Justice (1992). Notes of the Kitáb-i-Aqdas. Wilmette, Illinois, USA: Bahá'í Publishing Trust. p. 178. ISBN 0-85398-999-0 .
  7. National Spiritual Assembly of the Bahá'ís of the United States (28 de junho de 2006). «Baha'is mark New Year with charity, period of fasting». bahai.us. Consultado em 25 de fevereiro de 2007