Abrir menu principal

Batalha de Adrianópolis (1205)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Batalha de Adrianópolis (desambiguação).
Batalha de Adrianópolis
Guerras búlgaro-latinas
Battle of Adrianople (1205).png
Diagrama da batalha
Data 14 de abril de 1205
Local Adrianópolis (moderna Edirne, na Turquia)
Desfecho Vitória decisiva búlgara e captura do imperador latino Balduíno I
Beligerantes
Segundo Império Búlgaro Império Búlgaro Império Latino Império Latino
Comandantes
Segundo Império Búlgaro Czar Joanitzes Império Latino imperador Balduíno I
Forças
40 000 - infantaria, cavalaria e arqueiros
Por volta de 14 000 arqueiros montados cumanos[1]
Desconhecida, provavelmente algumas dezenas de milhares.
300 cavaleiros pesados europeus, primordialmente franceses.
Baixas
Desconhecidas, mas leves. Alguns milhares de soldados e quase todos os cavaleiros.
Adrianópolis está localizado em: Turquia
Adrianópolis
Localização de Adrianópolis (Edirne) no que é hoje a Turquia

A Batalha de Adrianópolis foi travada em 14 de abril de 1205 nas proximidades de Adrianópolis (moderna Edirne, na Turquia) entre as forças do Império Búlgaro e do Império Latino. Numa vitória decisiva, os búlgaros conseguiram capturar o imperador latino Balduíno I de Constantinopla (r. 1194–1205) e infligiram pesadas baixas ao exército latino. A principal fonte para esta batalha é o relato da "Crônica" de Godofredo de Vilearduin.

ContextoEditar

Os exércitos da Quarta cruzada desviaram de seu objetivo declarado de conquistar Jerusalém e, ao invés disso, capturaram e saquearam a capital bizantina, Constantinopla, em 1204. O Império Búlgaro e os estados sucessores bizantinos logo se uniram para enfrentar a nova ameaça representada pelo Império Latino.

A batalhaEditar

As forças búlgaras eram lideradas pelo czar Joanitzes da Bulgária (r. 1197–1207) e os cruzados, pelo imperador Balduíno. Os búlgaros levaram a melhor depois conseguirem emboscar os latinos com a ajuda das forças cumanas e dos aliados bizantinos. Por volta de 300 cavaleiros foram mortos, incluindo Luís I de Blois (r. 1191–1205), o duque de Niceia. Balduíno foi capturado e acabou morrendo depois na prisão. Os búlgaros seguiram a campanha arrasando boa parte da Trácia e da Macedônia enquanto o Império Latino se recuperava sob o comando de Henrique de Flandres (r. 1205–1216), que ascendeu ao trono em 20 de agosto de 1206.

ConsequênciasEditar

Como resultado da batalha, a Bulgária e o Império de Niceia (o principal estado sucessor bizantino) formaram uma aliança contra os latinos de Constantinopla. Em 1207, os búlgaros atacaram novamente e conseguiram matar Bonifácio I de Monferrato na Batalha de Messinópolis. Ele foi decapitado e sua cabeça foi enviada para Joanitzes.

Referências

  1. Phillips, Jonathan (2004) The Fourth Crusade and the Sack of Constantinople, London: Jonathan Cape ISBN 0-224-06986-1; p. 289.

BibliografiaEditar