Abrir menu principal
Batalha de Bani Walid
Guerra Civil Líbia
VOA Arrott - Bani Walid siege begins in Libya - 03.jpg
Combatentes da oposição em Bani Walid.
Data 8–30 de setembro de 2011 (primeira fase)
9–17 de outubro de 2011 (segunda fase)
Local Bani Walid, Líbia
Desfecho Vitória das forças pró-Gaddafi (primeira fase)
Vitória das forças anti-Gaddafi (segunda fase)
  • Tropas de Gaddafi repelem quatro ataques rebeldes contra a cidade;
  • Combatentes da oposição do regime tomam a cidade no quinto ataque;
  • Combates violentos voltam a açolar a cidade no começo de 2012;
Beligerantes
Líbia Conselho Nacional de Transição (CNT)
OTAN OTAN
Líbia Forças de Gaddafi
Comandantes
Líbia Daou al-Salhine al-Jadak [1]
Líbia Musa Yunis[2]
Líbia Saif al-Islam Gaddafi[3]
Forças
5 000 combatentes[4]
150 veículos armados
2 000 soldados[5]
Dezenas de veículos armados e lançadores BM-21[6][7]
Baixas
85–91 mortos[8]
215–231 feridos[9]
7–9 mortos (em setembro; baixas de outubro desconhecidas)[10]
315–317 capturados (segundo o CNT)[11]

A Batalha de Bani Walid foi uma grande operação militar travada durante a Guerra Civil Líbia, conduzida por forças da oposição anti-Gaddafi, apoiados pela OTAN, lutando contra militantes ainda leais ao regime líbio. Entre setembro e outubro de 2011, combates violentos foram registrados por toda a cidade enquanto as forças opostas lutavam pelo controle da região.

No começo de setembro de 2011, Bani Walid começou a ser cercada por forças do Conselho Nacional de Transição (CNT).[12] A cidade ainda estava sob controle de forças leais ao ditador do país, Muammar Gaddafi. Combatentes do regime, utilizando de foguetes, artilharia e atiradores de elite, repeliram os primeiros ataques das forças do CNT.[13][14][15] A cidade então foi bombardeada por navios e aviões da OTAN.[16] Os rebeldes tentaram então avançar pela periferia da cidade, avançando sobre o aeroporto local mas o ataque acabou fracassando.[17]

Em 16 de outubro, os rebeldes lançam sua maior ofensiva contra o centro da cidade e após violentos combates anunciam que boa parte do município já estava sob seu controle.[18][19][20] No dia seguinte, as forças de Gaddafi remanescentes decidiram se render.[21] Foi então reportado que Saif al-Islam Gaddafi, filho mais velho do então ditador do país, que estava se refugiando na cidade, havia fugido para evitar ser capturado.[22]

O término da guerra no fim de outubro não garantiu a paz na região.[23] Em janeiro de 2012, milicianos que se opunham ao CNT e forças leais ao novo governo de transição se combateram pelo controle da cidade.[24] Foi só em outubro de 2012, um ano após o início dos combates na cidade, que Bani Walid foi considerada completamente segura quando as últimas gangues de guerrilheiros contrarias ou leais ao novo governo encerraram os combates e o CNT assumiu o controle total da cidade.[25]

Referências

  1. «Wed, 28 Sep 2011, 12:56 GMT+3 – Libya». Al Jazeera Live Blog. 28 de setembro de 2011 
  2. Libyan rebel fighters in new push on Bani Walid. Página acessada em 10 de maio de 2013.
  3. «Fighters near Gadhafi stronghold meet stiff resistance». CNN. 10 de setembro de 2011. Consultado em 11 de maio de 2011 
  4. Al-Shalchi, Hadeel (5 de setembro de 2011). «Libya: Rebels Converge On Bani Walid». Huffington Post. Consultado em 16 de setembro de 2011 
  5. Golovnina, Maria. «Gaddafi loyalists holding out». The Voice of Russia. Consultado em 3 de setembro de 2011 
  6. Spencer, Richard. «Libya: uncertainty stalks the frontline in the hunt for Gaddafi». Telegraph. Londres. Consultado em 16 de setembro de 2011 
  7. «Libyan fighters enter Bani Walid». Al Jazeera English. Consultado em 9 de setembro de 2011 
  8. [1]-2 [2] 1 mortos (9 de setembro), 4 mortos (10 de setembro),[3] 5 mortos (11 de setembro),[4] 7 mortos (12 de setembro),[5] 6 [6]-11 [7] mortos (16 de setembro), 2 mortos (18 de setembro),[8], 4 mortos (19 de setembro),[9] 4 mortos (21 de setembro),[10][11], 2 mortos (25 de setembro),[12] 4 mortos (27 de setembro),[13] 11 mortos (28 de setembro),[14] 1 mortos (30 de setembro),[15] 2 mortos (5 de outubro),[16] 17 mortos (10 de outubro),[17] 9 mortos (14 de outubro),[18] 3 mortos (16 de outubro),[19] 3 mortos (17 de outubro),[20] total de 85–91 mortos reportados
  9. 3 feridos (9 de setembro),[21] 26 feridos (10 de setembro),[22] 14 feridos (11 de setembro),[23] 54 [24]-70 [25] feridos (16 de setembro), 15 feridos (18 de setembro),[26] 6 feridos (21 de setembro),[27][28] 11 feridos (27 de setembro),[29] 6 feridos (30 de setembro),[30] 80 feridos (10 de outubro),[31] total de 215–231 feridos reportados
  10. 1 morto (8 de setembro),[32] 3–5 morto (9 de setembro),[33] 2 morto (10 de setembro),[34] 1 morto (18 de setembro),[35] total de 7–9 reportados como mortos
  11. Al-Shalchi, Hadeel. «Libyan fighters say they're fighting in town of Bani Walid, one of Gadhafi's last bastions». Global TV. Consultado em 16 de setembro de 2011 
  12. Nordland, Rod. «Facing Resistance, Rebel Assault on Key Qaddafi Loyalists' Stronghold Slows». The New York Times. Consultado em 16 de setembro de 2011 
  13. Galpin, Richard. «Libya conflict: Rockets fired from Bani Walid». BBC News. Consultado em 16 de setembro de 2011 
  14. «Friday, 9 September 2011 – 15:11 GMT+3 – Libya». Al Jazeera Live Blog. Al Jazeera. Consultado em 9 de setembro de 2011 
  15. Harding, Andrew. «Libya conflict: Gaddafi forces resist Bani Walid attack». BBC News. Consultado em 16 de setembro de 2011 
  16. Golovnina, Maria. «NATO strikes pro-Gaddafi town: Reuters witness». Reuters. Consultado em 16 de setembro de 2011 
  17. «17 NTC fighters killed in Libya's Bani Walid». Ahram Online. Agence France-Presse. Consultado em 14 de outubro de 2011 
  18. Libyan leaders claim new areas in Bani Walid
  19. Libya's Bani Walid "liberated:" official
  20. Libyan forces say raised flag in Bani Walid
  21. Anger, chaos but no revolt after Libya violence
  22. Malone, Barry; Buckley, Chris. «Muammar Gaddafi's son Saif al-Islam tells International Criminal Court he is innocent». National Post. Canada. Reuters. Consultado em 16 de janeiro de 2012 
  23. Golovnina, Maria. «FEATURE-Gaddafi loyalists fight on as Libya tries to unite». Reuters Africa. Bani Walid. Reuters. Consultado em 26 de outubro de 2011 
  24. «'Pro-Kadhafi' attack kills four in Libya». Google News. Tripoli. Agence France-Presse. Consultado em 23 de janeiro de 2012 
  25. Libya town wracked by political score-settling
  Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.