Abrir menu principal

Batalha de Egospótamo

Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde abril de 2010). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A batalha naval de Egospótamo[1] teve lugar em 404 a.C., na Grécia, opondo a frota recém-construída de Esparta à de Atenas, com a derrota desta última.

Para contrabalançar o peso da liderança ateniense, a cidade de Esparta formou a Liga do Peloponeso. Estrategicamente, Atenas possuía superioridade marítima, e Esparta, terrestre. Com o apoio do Império Aquemênida, Esparta construiu uma poderosa frota e derrotou os atenienses na batalha de Egospótamo, alcançando a hegemonia do mundo grego.

Sete anos após ter assinado a Paz de Nícias, Atenas decide romper com o tratado.

Com a derrota da sua frota em Egospótamo, Atenas foi cercada por terra e por mar. Após nova vitória, Esparta obrigou os atenienses a destruírem as fortificações da cidade.

Iniciava-se um curto período de hegemonia de Esparta que durou até à sua derrota frente aos Tebanos na batalha de Leuctra (371 a.C.).

Após estas batalhas, aconteceram novos atritos entre Tebanos, Atenienses e Espartanos. O resultado destas guerras foi o enfraquecimento da Grécia, que abriu espaço para Filipe II da Macedónia dominá-la posteriormente,após a batalha de Queroneia.

Referências

  1. Fernandes 1941, p. 39; 128; 363.

BibliografiaEditar

  • Fernandes, Ivo Xavier (1941). Topónimos e gentílicos. 1. [S.l.]: Editora Educação Nacional 
  Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.