Batalha de Kismayo (2008)

Batalha de Kismayo (2008)
Guerra na Somália (2006–2009)
Data August 20–22, 2008
Local Kismayo, Somália
Desfecho Vitória do al-Shabaab
Beligerantes
Flag of the Islamic Courts Union.svg Combatentes leais ao al-Shabaab e à União dos Tribunais Islâmicos[1] Somália Milícias Marehan pró-governo
Comandantes
Desconhecido Somália Barre Adan Shire Hiiraale
Vítimas: Pelo menos 89 mortos[2]

Batalha de Kismayo teve inicio em 20 de agosto de 2008, quando os combatentes islamistas do al-Shabaab e da União das Cortes Islâmicas (UCI) iniciaram uma ofensiva para conquistar o porto de Kismayo, ao sul da Somália, das milícias pró-governo. Três dias de combates teriam matado 89 pessoas e ferido mais de 207. A al-Shabaab tomou a cidade em 22 de agosto.[1][3]

AntecedentesEditar

A al-Shabab, lutando como parte da União das Cortes Islâmicas, foi expulsa de Kismayo em janeiro de 2007, depois que as forças etíopes invadiram a Somália para apoiar o governo interino na luta para assumir o controle de grande parte do centro e do sul da Somália.[3] De acordo com o presidente interino da Somália, Abdullahi Yusuf, Kismayo não estava sob o controle do governo de transição apoiado pela Etiópia e não havia forças etíopes na área no momento da batalha; as milícias dos clãs em Kismayo afirmaram ser parte do governo, no entanto.[4] Nos meses anteriores à batalha, Kismayo era considerado pacífico em comparação com Mogadíscio, a capital.[5]

CombatesEditar

As milícias dos clãs marehan, lideradas pelo ex-senhor da guerra que tornou-se parlamentar Barre Hirale, sofreram pesadas derrotas, e o carro pessoal de Hirale teria sido capturado por combatentes islâmicos.[1] De acordo com testemunhas, em 22 de agosto ocorreram os combates mais intensos, com ambos os lados usando muitas armas pesadas, incluindo armas anti-aéreas.[2]

ResultadoEditar

Os combates em Kismayo teriam desalojado cerca de 35.000 pessoas. Após a retirada dos combatentes de Hiiraale, a al-Shabaab iniciou um processo de desarmamento pacífico visando grupos armados locais que contribuíram para a insegurança em Kismayo.[6] No início de setembro, foi imposto um toque de recolher noturno.[7]

Uma nova administração distrital foi estabelecida em 6 de setembro de 2008. Seus membros supostamente representavam a União das Cortes Islâmicas e a al-Shabaab (três membros cada), além de um clã local (um membro) que havia tomado parte no ataque militar.[8] A legitimidade da administração foi posteriormente contestada, no entanto, visto que a União das Cortes Islâmicas e os anciãos dos clãs locais alegaram que a al-Shabaab não os havia consultado adequadamente.[9]

Em 28 de setembro de 2012, tropas do exército do Quênia e milícias do Movimento Raskamboni capturaram a cidade dos insurgentes do al-Shabaab durante a Batalha de Kismayo (2012).[10][11] Esse seria o ponto culminante do ataque queniano pela Operação Linda Nchi na Somália, que havia começado no final do ano anterior.

Referências

  1. a b c "Somalia’s Islamists seize Kismayo" Arquivado em 22 de setembro de 2008 no Wayback Machine., Garowe Online, 22 de agosto de 2008.
  2. a b "Somali city clears bodies after deadly clashes", CNN, 23 de agosto de 2008.
  3. a b "Scores killed in Somalia fighting", Al Jazeera, 23 de agosto de 2008.
  4. "Death toll hits 20 as al Shabaab capture Kismayo" Arquivado em 22 de agosto de 2008 no Wayback Machine., Garowe Online, August 21, 2008.
  5. Sahra Abdi Ahmed, "Toll in southern Somalia fighting hits 55", Reuters (International Herald Tribune), 22 de agosto de 2008.
  6. IRIN 2008, 'SOMALIA: Thousands displaced as insurgents take control of Kismayo', IRIN News, 25 de agosto de 2008.
  7. AP 2008, 'Islamists impose curfew in Somali port town', International Herald Tribune, 9 de Setembro de 2008.
  8. Garowe Online 2008, 'Somalia's Islamists appoint Kismayo administration' Arquivado em 2008-09-16 no Wayback Machine., Garowe Online, 6 de setembro de 2008.
  9. AFP 2008, Rival 'Somali Islamists feud over control of port city' Arquivado em 13 de setembro de 2008 no Wayback Machine., via AFP Google News, 8 de setembro de 2008.
  10. «Kenyan forces attack last remaining stronghold of al-Qaeda-linked militants in Somalia». Associated Press. 28 de setembro de 2012 
  11. Chonghaile, Clar Ni (28 de setembro de 2012). «Kenyan troops launch beach assault on Somali city of Kismayo». The Guardian