Abrir menu principal
Batalha de Mossul (2014)
Guerra Civil Iraquiana
Humvee down after isis attack.jpg
Um Humvee iraquiano destruído após a batalha.
Data 4 a 10 de junho de 2014
Local Mossul, Iraque
Desfecho Vitória decisiva do Estado Islâmico
  • O Estado Islâmico captura a cidade totalmente.[1][2]
  • As forças iraquianas se retiram para o norte.[3]
  • Os combatentes islâmicos assumem a sede do governo provincial, o Aeroporto Internacional de Mossul, prisões e bancos.[3]
  • O Estado Islâmico continua a expandir-se no norte do Iraque.[3]
Beligerantes
Governo do Iraque Estado Islâmico do Iraque e do Levante Estado Islâmico do Iraque e do Levante
Comandantes
Iraque Mahdi Al-Gharrawi Estado Islâmico do Iraque e do Levante Abu Abdulrahman al-Bilawi 
Forças
60.000[4]
  • 30.000 soldados (duas divisões, com forças de segurança superando os atacantes em mais de 15 para 1)[5][6]
  • 30 mil policiais federais[4]
800–1.500[5][7]
Baixas
2.500+ mortos[8]
4.000 prisioneiros executados[9]
2.300 Humvees perdidos[10]
Milhares desertaram
Pelo menos 105 mortos[11]
Cerca de 500 mil civis deslocados de Mosul[12]

A queda de Mossul ou Batalha de Mossul de 2014 ocorreu entre 4 e 10 de junho de 2014 quando os insurgentes do Estado Islâmico (Daesh), aliados a tribos e grupos armados sunitas, lançaram uma ofensiva relâmpago em todo o norte do Iraque e capturaram cidade de Mossul em menos de uma semana, derrotando uma força superior.

Em janeiro de 2014, o Estado Islâmico assumiu o controle de Faluja e Ramadi, incitando conflitos com o exército iraquiano. Em 4 de junho, os insurgentes começaram seus esforços para capturar Mossul. O exército iraquiano possuía 30 mil soldados e outros 30 mil policiais federais estacionados na cidade, enfrentando uma força de ataque de 1.500 membros. No entanto, depois de seis dias de combates, a cidade, o Aeroporto Internacional de Mossul e os helicópteros localizados ali caíram sob o controle dos jiadistas. Cerca de 500 mil civis fugiram da cidade, devido ao conflito.

As forças iraquianas iniciariam uma ofensiva em 17 de outubro de 2016 para retomar a cidade, conseguindo êxito em seus objetivos no final de julho de 2017. (Ver: Batalha de Mossul (2016–2017))

Referências