Batalha de Talikota

A Batalha de Talikota foi uma batalha travada em 26 de janeiro de 1565 entre tropas do Reino de Bisnaga e dos vitoriosos Sultanatos do Decão perto de Talikota, uma cidade da Índia localizada no estado de Karnataka.

PrelúdioEditar

O trono do Império Vijayanagara passara de Achyuta Raya, após a sua morte, a Aliya Rama Raya, e os sultanatos decidiram se unir e destruir o reino. Eles formaram os sultanatos de Deccan. O sultanatos de Deccan eram compostos por cinco reinos muçulmanos: Bijapur, Golconda, Ahmadnagar, Bidar e Berar, e ficavam localizados no Centro-Sul da Índia.

A batalhaEditar

Em 26 de janeiro de 1565, os sultanatos de Deccan Ahmednagar, Bidar, Bijapur e Golconda, que haviam formado uma grande aliança, e o exército Vijayanagara se dirigiram para Talikota, conselho de Bijapur, entre duas aldeias chamadas Rakkasa e Tangadi, nas margens aluviais do Rio Krishna, no atual estado indiano de Karnataka. Foi uma das poucas vezes na história indiana medieval que uma estratégia conjunta foi empregada. Os sultanatos também foram auxiliados por alguns reinos hindus menores que nutriam rancores contra o Império Vijayanagara. Os reinos de Deccan tinham um total de 80.000 de infantaria e 30.000 cavaleiros. Vijayanagara, por outro lado, tinha 140 mil soldados de infantaria, com mais 10.000 a cavalo. O exército também tinha um grande número de elefantes de guerra. Esta batalha decisiva foi ferozmente travada. Lutando em um terreno rochoso, as tropas invasoras lançaram uma ofensiva estratégica clássica. Primeiro atacaram as principais linhas do exército Vijayanagara usando canhões. O uso concentrado da artilharia teve seu preço, e o frontal ataque massivo pelos exércitos combinados finalizou o trabalho. A batalha terminou com uma vitória completa dos sultanatos, com o raja sendo decapitado e colocado em exposição como um troféu.

ConsequênciasEditar

A batalha significou o golpe de morte para os grandes reinos hindus na Índia e também terminou o último grande império do Sul da Índia. O império hindu de Vijayanagar uniu o Sul da Índia e bloqueou o avanço muçulmano até ser vencido nessa batalha.

Causas da derrotaEditar

  • Tem sido sugerido que enquanto o exército de Vijayanagara tinha um menor número de cavaleiros e dependia de comandantes montando elefantes de guerra, tornando-o mais lento no campo de batalha, o exército dos sultanatos de Deccan tinha uma tropa muito mais rápida, com cavalos persas utilizados por setores-chave do exército. Isso lhes dava uma vantagem.
  • Enquanto a infantaria Vijayanagara dependia de arcos feitos de bambu, os sultanatos utilizavam bestas de metal, que foram muito mais eficazes na precisão e à distância. Além disso, o exército Vijayanagara usava lanças e dardos de 7 pés (2,1 m) de comprimento, enquanto seus inimigos utilizavam lanças longas de 15 pés (4,6 m). Isso também lhes conferia uma clara vantagem.
  • Apesar de todas essas desvantagens, os historiadores concordam que o maior motivo da derrota foi a traição dos dois principais comandantes muçulmanos de Vijayanagara, os irmãos Gilani, que tinham milhares de soldados sob seu comando. Esses comandantes eram desertores do Sultanato de Bijapur e mais tarde foram empregados por Aliya Rama Raya. Os irmãos Gilani são conhecidos por terem fugido do campo de batalha em um momento decisivo.
  Este artigo sobre batalhas (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.