Batimento de quilha

Batimento de quilha é uma cerimônia que marca o início da construção de um navio. O ato consiste na fixação do primeiro prego no elemento principal da estrutura do navio, a quilha. A quilha é considerada, pelos mais antigos, como o coração do navio e cerca-se este com muitas superstições e, por isso, a cerimonia que naquele tempo servia para espantar os maus espíritos.[1]

O batismo de quilha do USS Missouri, em 1941.

TradiçõesEditar

Diz-se que as tradições relacionadas com a quilha dos tempos dos navios de madeira trazem sorte ao navio durante a construção e ao capitão e à tripulação durante sua vida posterior. Eles incluem colocar uma moeda recém-cunhada sob a quilha e construir o navio sobre ela, fazer com que o aprendiz mais jovem coloque a moeda e, quando o navio estiver pronto.[2][3] A tradição da colocação de moedas deriva do costume de pisar no mastro de colocar moedas sob o mastro e acredita-se que remonta à Grécia ou Roma Antiga e destinava-se a "pagar o barqueiro" para transmitir as almas dos mortos do outro lado do rio Estige, se o navio afundar.[4]

Referências

  1. Marinha do Brasil. «Mostra de Armamento do Submarino "TIKUNA"». Consultado em 2 de julho de 2010 
  2. «Home - P+S Werften». web.archive.org. 22 de outubro de 2013. Consultado em 8 de fevereiro de 2021 
  3. «Home - American Shipping Company». web.archive.org. 14 de outubro de 2013. Consultado em 8 de fevereiro de 2021 
  4. «United States Navy > Resources > Blogs». www.navy.mil. Consultado em 8 de fevereiro de 2021 

Ligações externasEditar

  • «Mauá bate quilha do 1º navio da Transpetro, Portos & Navios, UOL» 🔗