Um beato (do latim beatum, "feliz", "bem-aventurado") é, no direito canónico da Igreja Católica, um homem ou uma mulher cujo processo de beatificação foi concluído; depois, esse processo prosseguirá em direcção à canonização se se verificarem as condições requeridas para o efeito; em caso afirmativo, o candidato será reconhecido como santo.[1]

Disambig grey.svg Nota: "Bem-aventurado" redireciona para este artigo. Para outros significados, veja Bem-aventurado (desambiguação). Para outros significados, veja Beato (desambiguação).

Quando alguém é beatificado, essa pessoa passa a ser um exemplo das virtudes cristãs (mais ou menos como um santo), seja por martírio ou por outros exemplos, e seu culto passa a ser permitido, mas diferentemente dos santos, o culto só é permitido em sua região de origem ou onde viveu.[1] Os beatos não podem ser representados com o halo e os mesmos não podem ter igrejas próprias (a não ser que sejam-lhes concedidas especialmente) e também não podem ser padroeiros.[2]

A organização responsável por analisar as virtudes, obras e milagres de potenciais beatos é a Congregação para as Causas dos Santos, que pertence à Santa Sé.[3]

Referências

  1. a b «Qual a Diferença entre Santo e Beato?». Nossa Sagrada Família. Consultado em 29 de junho de 2020 
  2. «Qual a Diferença entre um Beato e um Santo?». Vidã Cristã. 10 de maio de 2018. Consultado em 29 de junho de 2020 
  3. «Conceito de beato». Conceito.de. Consultado em 29 de junho de 2020 

Ver tambémEditar


  Este artigo sobre catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.