Beldades de Hampton Court

As Beldades de Hampton Court é uma série de retratos de autoria de Godfrey Kneller, encomendados pela rainha Maria II de Inglaterra, que ilustram as oito mais belas mulheres da corte de Maria II e Guilherme III de Inglaterra, marido de Maria. As pinturas enfeitam os salões de Guilherme III no Palácio de Hampton Court, em Londres.[1]

História editar

As pinturas provavelmente foram encomendadas, originalmente, para serem penduradas na "sala das águas", contudo, após a morte da esposa, em 1694, Guilherme III as levou para a sala de jantar no andar térreo, onde estão penduradas até hoje.[2]

Hampton Court também abriga as Beldades de Windsor, quadros produzidos na corte de Carlos II de Inglaterra, encomendados por sua cunhada, Ana Hyde, mãe de Maria II e da futura rainha, Ana da Grã-Bretanha. Assim como as Beldades de Hampton Court, os quadros retratam as mulheres mais belas de sua época, porém, muitas das mulheres da coleção de Windsor eram amantes do rei Carlos II, enquanto que as de Hampton Court eram atendentes da rainha Maria.[1]

Diferentemente da coleção passada, de tamanho 3/4 das pinturas, os quadros da coleção da rainha têm um tamanho maior e as poses das mulheres são mais formais. Além disso, possuem um estilo mais simples e menos erótico, para refletir uma sociedade mais moralista, e o desejo de "repaginar" a monarquia seguindo um modelo moral.[3]

Apesar disso, pintores e críticos de séculos posteriores, tais como William Hazlitt e Johann Heinrich Füssli, consideraram os retratos problemáticos, tendo Hazlitt chamado as nobres pintadas de "vulgares."[4] O gravurista, Charles Knight, chamou o conjunto de mulheres ali representadas de "assanhadas ousadas e meretrícias". [5]

As duas coleções fizeram parte da exibição "The Wild, the Beautiful and the Damned", em 2012.[6][7]

Lista das Beldades editar

Galeria editar

Referências

  1. a b «The 17th-Century Hampton Court Beauties». fiveminutehistory.com 
  2. Alexander; MacLeod, Julia Marciari; Catharine. Politics, Transgression, and Representation at the Court of Charles II. [S.l.]: Yale Center for British Art. p. 113–115 
  3. Sharpe, Kevin (2013). Rebranding Rule: The Restoration and Revolution Monarchy, 1660-1714. [S.l.]: Yale University Press. p. 412–414. 849 páginas 
  4. Jones, Robert W. (1998). Gender and the Formation of Taste in Eighteenth-Century Britain: The Analysis of Beauty. [S.l.]: Cambridge University Press. 268 páginas 
  5. Palmer; Long, Nicola J; Phil (2008). Royal Tourism: Excursions Around Monarchy. [S.l.]: Channel View Publications. p. 44. 268 páginas 
  6. «The 'Hampton Court Beauties'». hrp.org.uk 
  7. «Hampton Court exhibition reveals damned beauties of Stuart era». theguardian.com