Bernardo I de Ribagorça

Bernardo I (c. 880 - 955) foi conde de Ribagorça entre os anos de 920 e de 955[1] e irmão dos Condes de Pallars, o conde Lope I de Pallars (? - 948), conde de Pallars entre 920 e 948, e o conde Isarno I de Pallars (? - 948), infante de Ribagorça e conde de Pallars entre 920 e 948.

Bernardo I de Ribagorça
conde de Ribagorça
Escudo do Brasão de armas dos Condes de Bigorre.
Nascimento 880
Morte 955 (75 anos)
Pai Raimundo I de Pallars e Ribagorça
Mãe Guinigenta

Em 919 Bernardo I lutou juntamente com o seu primo Sancho Garcês I de Pamplona na tentativa de conquistar o Castelo de Monzón que se encontrava na posse da dinastia muçulmana Banu Cassi.

De acordo com fontes sarracenas, no ano de 928 ou 929 hospedou o patriarca da família de Banu Cassi, Maomé ibne Llop, que havia sido derrotado na guerra e obrigado pelos seus súditos a abandonar o trono.

Relações familiaresEditar

Foi filho de Raimundo I de Pallars e Ribagorça (? — c. 920) e de Guinigenta. casou-se com Toda Galindes de Aragão, senhora de Sobrarbe filha de Galindo II Aznárez conde de Aragão (? - 893 e de Acibela da Gasconha (922 -?), de quem teve:

  1. Raimundo II de Ribagorça (c. 910 - 970), Conde de Ribagorça, casou com Gersenda de Fézensac (910 —?), filha de Guilherme Garcês da Gasconha[2][3], conde de Fezensac e de Gracinda de Rouerge.
  2. Galindo de Ribagorça (c. 910 - depois de 930), casou-se em 930 com Velasquita de Pamplona, de quem foi o 2º marido, ​​filha de Sancho Sancho Garcês I de Pamplona[4] e Toda Aznares de Aragão.
  3. Borrel de Ribagorça. Em alguma documentação medieval é dado como sucessor de seu pai no condado de Ribagorça, no entanto a histórica moderna tem rejeitado essa versão, dando-a como errônea.
  4. Miro de Ribagorça, herdou de sua esposa as terras de Najera, morreu sem filhos conhecidos.
  5. Ava.

Referências

  1. «ARAGON NOBILITY». fmg.ac (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2021 
  2. «GASCONY». fmg.ac (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2021 
  3. Dunbabin, Jean, France in the making, 843-1180, (Oxford University Press, 2000), 87-88.
  4. L'Enciclopèdia.cat. Barcelona: Grup Enciclopèdia Catalana