Bernhard Karl von Koehne

Disambig grey.svg Nota: Para o botânico alemão, veja Bernhard Adalbert Emil Koehne.

Bernhard Karl von Koehne (Berlim, 4 de julho de 1817 — Würzburg, 17 de fevereiro de 1886) foi um arqueólogo, numismata e heraldista alemão ao serviço da Rússia Imperial. Em 1844 foi nomeado curador do departamento de numismática do Museu Hermitage em São Petersburgo, sendo em seguida consultor científico, e de 1857 em diante director da secção de armas no departamento de heráldica do senado russo. Após cair em desgraça junto dos círculos académicos de São Petersburgo, requereu a cidadania finlandesa em 1859, que não lhe foi concedida. Foi conhecido na Rússia sob o nome de Boris Valisilivich Kene em russo: Бернгард (Борис) Васильевич Кёне.

Bernhard Karl von Koehne
Pseudónimo(s) Boris Valisilivich Kene
Nascimento 4 de julho de 1817
Berlim
Morte 17 de fevereiro de 1886 (68 anos)
Wurtzburgo
Ocupação Arqueólogo
Numismata
Heraldista
Título Barão

BiografiaEditar

Em 1842 o Barão Von Koehne estabeleceu-se em São Petersburgo, seguindo a carreira civil ao serviço do Império Russo. A sua produção académica no campo da arqueologia russa, no qual foi pioneiro, e da numismática medieval europeia, foi prodigiosa. Entre 1941 e 1973 fundou, dirigiu e redigiu grande parte do conteúdo de três séries de periódicos, interrompendo a actividade somente entre 1852 e 1859, presumivelmente devido à Guerra da Crimeia.[1]

Em 1844 Koehne realiza uma prolongada viagem ao sul da Itália, para apreciar as colecções numismáticas aí existentes. No mesmo ano foi nomeado curador do departamento de numismática do Museu Hermitage em São Petersburgo. Foi depois director da Galeria dos Tesouros e consultor científico.[2] A sua área de especialização foi a numismática da Antiguidade no Mar Morto.[3]

Por sua iniciativa, com a ajuda do Duque de Leuchtenberg, Maximiliano, em 1846 foi fundada a Sociedade Imperial Russa de Arqueologia (em russo: Императорское русское археологическое общество), uma filial da "Sociedade Técnica Russa" (em russo: Русское техническое общество), da qual Koehne foi nomeado secretário. Koehne recebeu do Institut de France uma medalha de ouro raramente concedida pela "Description du musée de feu le prince Basile Kotschoubey" e pelo Estudo sobre a história e numismática dos assentamentos gregos na Rússia, assim no Reino de Ponto como no do Bósforo", São Petersburgo, 1857 (em russo: "Исследования по истории и нумизматике греч. поселений в России, равно как царств Понтийского и Босфора Киммерийского").

Desejando simplificar os armoriais do Império, em 1857 o Barão Von Koehne emite as regras para os brasões das províncias, regiões, municípios, cidades e vilas. Foram aprovados a 7 de Maio, e a 4 de Julho desse ano.

As normas incluíam a classificação dos adornos exteriores do escudo, decorações (coroa) do escudo todo, as fitas que o entrelaçam, e o método de especificar a afiliação provincial na parte livre do escudo.

Na segunda metade da década de 1850 Koehne realiza-se como heraldista, ao compor os símbolos imperiais, dentre os quais sua principal realização, que foi a versão definitiva do Brasão do Império Russo, em 1856 e, no ano seguinte, é condecorado. Em 1858, entretanto, sua reputação foi irremediavelmente abalada quando, descobrindo em Estocolmo antigas moedas russas, identificou-as como sendo do período de Olegue de Quieve; foi refutado, em seguida, por A. Kunik, que ao assinalar a presença de São Jorge, identificou-as acertadamente como sendo de Jaroslau I, o Sábio. Koehne não reconheceu o erro e iniciou-se um virulento debate, que, mesmo quando se esvaiu, não o permitiu recuperar a credibilidade científica.[4]

Versos atribuídos a Mykola Lysenko, muito populares no seu tempo, e críticos da influência que o alemão exercia junto ao poder, diziam que:[4]

"...afirma que diferentes cruzamentos
Em torno de seu pescoço pendurado,

Resumem em três linhas,
Houve de tudo: medalhas, emblemas
E ainda, finalmente, a estrela
Cão raivoso persa.

Particularista de Berlim,
Espião em terras estrangeiras,
Como heraldista autodenominado
Mande-o a serviço do poder ... "

PublicaçõesEditar

 
Frontispício da obra "Description du musée de feu le prince Basile Kotschoubey", premiada pelo Institut de France.

Referências

  1. Philip, Grierson; Travaini, Lucia. Cambridge University Press, ed. Medieval European coinage: with a catalogue of the coins in the Fitzwilliam Museum, Cambridge. Italy. South Italy, Sicily and Sardinia, Parte 3. 1998. [S.l.: s.n.] 485 páginas. ISBN 9780521582315 
  2. «The State Hermitage Museum: Virtual Tour». www.hermitagemuseum.org. Consultado em 11 de abril de 2010 
  3. «Bulletin - United States National Museum (1877)» (229). Washington: Smithsonian Institution Press. 1970 
  4. a b Pchelov, Eugene. «Criador emblema do Império Russo (Baron Koehne: toques para o retrato)» (em russo). Consultado em 14 de abril de 2010 

BibliografiaEditar

  • Энциклопедический словарь Брокгауза и Ефрона (Enciklopedičeskij slobar' Brokgauza i Efrona): Dicionário Enciclopédico Brockhaus e Efron

Fontes da traduçãoEditar

Ligações externasEditar