Abrir menu principal
Biármia, tal como ilustrada na Carta Marina (1539), de Olavo Magno

Biármia (em latim: Biarmia/Byarmia; em nórdico antigo: Bjarmaland, Bjarmland ou Bjarmia; em inglês antigo: Beormaland) era um território mencionado nas sagas nórdicas por toda a Era Viquingue e mesmo depois. O termo pode ter designado as margens meridionais do Mar Branco e a bacia do rio Duína do Norte, áreas que atualmente são ocupadas pelo Oblast de Arkhangelsk, na Rússia.

Acredita-se que o seu nome venha da palavra fino-úgrica perm, que significaria "mercadores viajantes".[1] Alguns linguistas, no entanto, consideram esta teoria especulativa.[2] O comércio da "Biármia" alcançaria até o sudeste da Bulgária do Volga, onde também interagiam com os escandinavos que ali chegavam, vindos do mar Báltico.[1]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Steinsland & Meulengracht 1998:162
  2. Saarikivi, Janne: Substrata Uralica. Studies in Finno-Ugric substrate in northern Russian dialects. Dissertação de doutorado. Tartu 2006: 28 http://ethesis.helsinki.fi/julkaisut/hum/suoma/vk/saarikivi/substrat.pdf

BibliografiaEditar

  • Este artigo contém trechos da Edição Owl do Nordisk familjebok, uma enciclopédia sueca publicada entre 1904 e 1926 e atualmente em domínio público.
  • Steinsland, G. & Meulengracht Sørensen, P. (1998): Människor och makter i vikingarnas värld. ISBN 9173245917
  • Тиандер К.Ф. Поездки скандинавов в Белое море. [Viagens dos Nórdicos ao Mar Branco]. São Petersburgo, 1906.