O bioRxiv (pronuncia-se, em inglês, "bio-archive"[2]) é um repositório aberto de pré-publicação direcionado as ciências biológicas fundado em novembro de 2013.[3][4] Ele é hospedado pelo Cold Spring Harbor Laboratory (CSHL).[5] Sendo preprints (pré-publicações) os artigos listados no bioRxiv não são revisados por pares. Os leitores podem comentar nas pré-impressões, ajudando na avaliação de seu conteúdo.

BioRxiv
Tipo de sítio Ciência
Posição no Alexa Aumento 21,117 (desde janeiro de 2020)[1]
Endereço eletrônico biorxiv.org

O bioRxiv foi inspirado no repositório arXiv, que foca na área de física e ciências relacionadas, lançado em 1991 por Paul Ginsparg (que também faz parte do conselho consultivo do bioRxiv).

O bioRxiv recebeu apoio financeiro do CSHL, da Lourie Foundation.[6] e da Chan Zuckerberg Initiative.[7][8]

Antes do estabelecimento do bioRxiv, as opiniões dos biológos dividiam-se na questão de ter um repositório de acesso aberto dedicado a pré-prints.[3] Muitos tinham preocupações de ter suas pesquisas "roubadas" pelos concorrentes. No entanto, mesmo antes do bioRxiv, vários geneticistas já enviavam artigos para a seção de biologia quantitativa do repositório arXiv e usavam os pré-prints para apoiar suas alegações de descoberta.[3][9]

Como resultado da popularidade do bioRxiv, vários periódicos de biologia atualizaram suas políticas sobre pré-prints,[6][10] esclarecendo que não consideram as pré-prints uma 'publicação prévia' para os fins da regra de Ingelfinger . Mais de 20.000 tweets foram feitos sobre pré-prints hospedadas no bioRxiv em 2015.[6] Em julho de 2017, o número de envios mensais excedeu 1.000.[11] Em 31 de dezembro de 2019, mais de 68.000 artigos foram aceitos no total.[12]

Um serviço chamado Rxivist combina pré-impressões do bioRxiv com dados do Twitter para classificar os pré-prints.[13]

O MedRxiv e seu site irmão, bioRxiv, têm sido grandes fontes de divulgação da pesquisa COVID-19.[14]

Veja tambémEditar

Leitura adicionalEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. «biorxiv.org Site Overview». Alexa Internet. Consultado em 21 de janeiro de 2020 
  2. «Advancing the sharing of research results for the life sciences». bioRxiv. Consultado em 12 de dezembro de 2018 
  3. a b c Callaway, Ewen (12 de novembro de 2013). «Preprints come to life». Nature. 503 (7475): 180. Bibcode:2013Natur.503..180C. PMID 24226869. doi:10.1038/503180a   Parâmetro desconhecido |doi-access= ignorado (ajuda)
  4. Cold Spring Harbor Laboratory. «bioRxiv preprints can now be submitted directly to leading research journals». PhysOrg. Consultado em 17 de março de 2018 
  5. «About bioRxiv». bioRxiv. Cold Spring Harbor Laboratory. Consultado em 7 de setembro de 2016 
  6. a b c Inglis, John R.; Sever, Richard (12 de fevereiro de 2016). «bioRxiv: a progress report». ASAPbio. Consultado em 11 de setembro de 2016 
  7. Callaway, Ewen (2017). «BioRxiv preprint server gets cash boost from Chan Zuckerberg Initiative». Nature (em inglês). 545 (7652). 18 páginas. Bibcode:2017Natur.545...18C. PMID 28470210. doi:10.1038/nature.2017.21894   Parâmetro desconhecido |doi-access= ignorado (ajuda)
  8. Kaiser, Jocelyn (26 de abril de 2017). «BioRxiv preprint server gets funding from Chan Zuckerberg Initiative». Science. doi:10.1126/science.aal1117 
  9. Callaway, Ewen (31 de julho de 2012). «Geneticists eye the potential of arXiv». Nature. 488 (7409): 19. Bibcode:2012Natur.488...19C. PMID 22859182. doi:10.1038/488019a   Parâmetro desconhecido |doi-access= ignorado (ajuda)
  10. Kaiser, Jocelyn (11 de novembro de 2014). «BioRxiv at 1 year: A promising start». Science. Consultado em 7 de setembro de 2016 
  11. Inglis, John (30 de junho de 2017). «A life sci #preprint milestone: @biorxivpreprint's first >1000 ms month. Thanks to authors, affiliates, and staff for making it happen». @JohnRInglis. Consultado em 2 de julho de 2017 
  12. «Search Results | bioRxiv». biorxiv.org (em inglês). Consultado em 21 de janeiro de 2020 
  13. «Rxivist: Find interesting preprints». rxivist.org (em inglês) 
  14. Yan, Wudan (14 de abril de 2020). «Coronavirus Tests Science's Need for Speed Limits». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 1 de maio de 2020 

Ligações externasEditar