Abrir menu principal

Brasão do estado do Rio de Janeiro

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Brasão do estado do Rio de Janeiro
Brasão do estado do Rio de Janeiro
Detalhes
Adoção 5 de outubro de 1965
Timbre Uma estrela de prata Beta Crucis
Escudo Escudo oval utilizado pelo clero, formado de corda dourada, cortado. A primeira seção, ocupando a metade superior, de blau, com a silhueta da Serra dos Órgãos, destacando-se o pico Dedo de Deus; a segunda seção, ocupando um quarto da altura do escudo, é verde; e a terceira seção, ocupando a quarta parte inferior, é, novamente, azul.
Suportes Dois ramos, sendo um de cafeeiro frutificado, e outro de cana de açúcar, ambos de sua cor, cujas hastes se cruzam abaixo.
Lema "RECTE REMPUBLICAM GERERE" (latim para "Gerir a coisa pública com retidão") gravado em sable sobre listel de prata.

O brasão do estado do Rio de Janeiro é o emblema heráldico e um dos símbolos oficias do estado brasileiro do Rio de Janeiro.[1]


HistóriaEditar

Foi criado a pedido do então governador do estado, o general Paulo Torres, conforme amplamente noticiado nos jornais da época. Foi instituído pela Lei 5 138, de 7 de fevereiro de 1963 e, posteriormente, revisado, descrito e interpretado pela Lei 5 588, de 5 de outubro de 1965. O autor da revisão foi Alberto Rosa Fioravanti, conforme atestam os jornais da época.


Descrição heráldicaEditar

  • O brasão de armas tem a forma tradicional dos escudos adotados pelo clero, oval – simbolizando os anseios cristãos do povo fluminense – cortado. A primeira seção, ocupando a metade superior, é azul, representando o céu e simbolizando a justiça, a verdade e a lealdade, com a silhueta da Serra dos Órgãos, destacando-se o pico Dedo de Deus; a segunda seção, ocupando um quarto da altura do escudo, é verde, representando a Baixada Fluminense; e a terceira seção, ocupando a quarta parte inferior, é, novamente, azul, lembrando o mar de suas praias.
  • O escudo é circundado por uma corda de ouro, simbolizando a união dos fluminenses.
  • Colocado brocante, uma águia de cor natural, com asas abertas, na atitude de alçar voo, representando o governo forte, honesto e justo, portador de mensagem de confiança e de esperança aos mais longínquos rincões de nosso estado; assente em um escudo redondo de azul, faixado e orlado de prata, respectivamente com as inscrições: "9 de abril de 1892", que figura na faixa, lembrando a promulgação da primeira constituição do estado do Rio de Janeiro e Recte Rempublican Gerere ("Gerir a coisa pública com retidão"), incluída na orla, traduzindo a preocupação constante do homem público do nosso estado e coroado de uma estrela de 5 pontas de prata, representando a capital.
  • Como apoios, uma haste de cana e um ramo de cafeeiro frutado, de cor natural, colocados, respectivamente, à esquerda e à direita do escudo, representando os principais produtos da terra.
  • Listel de prata com a inscrição – "ESTADO do RIO de JANEIRO", em sable.
  • O timbre é a estrela Beta Crucis, de prata, representante do Estado do Rio de Janeiro na Bandeira Nacional.


Símbolos antigosEditar

 
Brasão do Estado do Rio de Janeiro em detalhe da pintura do forro do Plenário do Palácio Amarelo, sede da Câmara Municipal de Petrópolis, no Rio de Janeiro
 
Apólice de 1899 emitida pelo estado do Rio de Janeiro.

Em algum momento próximo à Proclamação da República, o Estado do Rio de Janeiro adotou um Brasão de Armas bastante semelhante ao atual – com pequenas diferenças, como as cores, posição da estrela (que ficava dentro do escudo, sobre o Dedo de Deus), postura da águia, entre outras. Em 1937, durante o Governo Vargas, foi redigida uma nova Constituição, que proibiu simbologias estaduais. Entre 1937 e 1962, o Estado do Rio de Janeiro não possuiu, oficialmente, brasões ou bandeiras.


CoresEditar

O governo do estado especifica as seguintes cores, no sistema CMYK, para confecção do brasão:[2][nota 1]

Ver tambémEditar

Notas

  1. As cores aqui apresentadas estão no formato sRGB, utilizado como padrão na web, e correspondem a valores aproximados ao original do CMYK. Esses valores foram obtidos através do gerenciador de cores do Corel Draw X5.

Referências

  1. ALVES. Derly Halfeld. Bandeiras: nacional, históricas e estaduais. Brasília. Edições do Senado Federal, 2011. ISBN 978-85-7018-358-3
  2. RIO DE JANEIRO. «Brasão oficial do Estado do Rio de Janeiro». Consultado em 8 fev. 2011 


Ligações externasEditar