César Pierry

ator argentino

César Pierry (Buenos Aires, 1955 - Buenos Aires, 29 de julho de 1992) foi um ator de televisão argentino. Era muito famoso durante os anos 80 e os anos 90 por suas participações em programas de televisões humorísticos. Faleceu devido a um acidente com uma granada de fumaça enquanto estava fazendo uma gravação.

César Pierry
Nascimento 1955
Buenos Aires, Argentina
Nacionalidade Argentino
Morte 29 de julho de 1992 (37 anos)

CarreiraEditar

Cesar tornou-se famoso primeiro como ator de teatro, compartilhando cenas com artistas como Pepe Cibrián, Antonio Gasalla e María Fernanda Callejón, entre muitos outros, exibindo seu grande talento humorístico. Além de ator, ele era um estudante de advocacia e um ciclista dedicado.

Entre 1987 e 1990 foi parte do elenco de Matrimonios y algo más, de Hugo Moser, junto a Rodolfo Ranni, Hugo Arana, Adriana Salgueiro, Silvia Suller, Gonzalo Urtizberea, Aida Luz, Cristina del Valle y Mirta Busnelli, entre outros.[1]

Em 1989, estreou o único filme em que trabalhou, o drama francês-argentino Corps perdus ("Corpos perdidos"), de Eduardo de Gregorio, estreou com Laura Morante, Tchéky Karyo e Gerardo Romano.[2]

Aos finais de 1990 e durante 1991 protagonizou a comédia televisiva Detective de señoras como Lucas, em dupla com Fernando Lúpiz (Miguel), e acompanhado por outros atores, como Ricardo Morán, Stella Maris Lanzani e Luisa Albinoni.[3]

Em 1992, ele gravou a comédia inacabada Mi socio imposible, também com Lupiz, que foi projetada como uma continuação do formato e estilo do Detective de señoras e seria transmitida em princípio pela Telefé. Após a morte de Pierry, foi cancelado e não pode ser lançado.

Acidente e morteEditar

Em 10 de julho de 1992, enquanto gravava um capitulo de Mi socio imposible quando estava mexendo em uma granada de fumaça, o explosivo explodiu inesperadamente, causando danos sérios na mão esquerda do ator, uma amputação de três dedos. Os companheiros, Fernando Lúpiz e Ricardo Morán que estavam junto a ele, sofreram ferimentos leves. No Hospital Británico de Buenos Aires, passou a ser operado 4 vezes.

Em 29 de julho de 1992, ele sofreu uma parada respiratória que causou a sua morte. Alguns rumores que surgiram ao longo da próxima causa era que sua morte repentina foi devido a negligência, relacionada com um erro de medicação ou anestesia excessiva, entre outros pressupostos não esclarecidos.

Ele morreu com apenas 37 anos de idade.

Referências

  1. Martin. «Matrimonios y algo más (1987/1990)». www.nuestrosactores.com.ar (em espanhol). Consultado em 8 de julho de 2017 
  2. Corps perdus (1989), consultado em 18 de agosto de 2017 
  3. Jimena. «Detective de señoras (1990/1991)». www.nuestrosactores.com.ar (em espanhol). Consultado em 8 de julho de 2017 

Ligações externasEditar