COVAX

aliança mundial para a vacina contra a COVID-19

A COVAX (em Inglês: COVID-19 Vaccines Global Access, em Português: Acesso Global às Vacinas da COVID-19), também conhecido como COVAX Facility, é uma iniciativa (ou um programa) da OMS, da Aliança Gavi e da CEPI que trabalha para a aquisição e posterior distribuição de vacinas contra covid-19 para os países mais pobres do planeta.[1][2]

Presidente da Filipina, Rodrigo Duterte, discursando após receber doses da vacina COVAX para o combate da pandemia de Covid-19 em seu país.

Com a visão de que "com uma pandemia de rápida evolução, ninguém está seguro, a menos que todos estejam seguros", a iniciativa visa a equidade entre os países no acesso a uma vacina covid-19 e tem por meta distribuir gratuitamente 2 bilhões de doses em 2021.[1]

HistóriaEditar

Em 2020, em meio à grave crise da pandemia de covid-19, a CEPI, a OMS e a Aliança Gavi criaram o programa Covax Facility para arrecadar dinheiro que seria utilizado para distribuir vacinas, a preço de custo, para os países mais pobres do planeta.[3]

Em 18 de dezembro de 2020, a OMS anunciou que 190 nações tinham aderido à iniciativa e que 92 países eram, àquela altura, elegíveis, de acordo com as regras, para receberem imunizantes através do programa.[4]

No final de janeiro de 2021, a Gavi anunciou que até o final de 2021, 2,3 bilhões de doses de vacinas covid-19 deveriam ser entregues aos países subdesenvolvidos, na seguinte proporção (pela população): Sudeste Asiático: 695 milhões; África: 540 milhões; Mediterrâneo Oriental: 355 milhões; Américas e Caribe: 280 milhões; Pacífico Ocidental: 225 milhões; Europa: 165 milhões de doses. A previsão é de que 1,3 bilhão dessas doses sejam entregues sem custo às nações mais pobres.[5]

ProblemasEditar

No entanto, em meados de 2021, os responsáveis pela COVAX passaram a reportar que não estavam recebendo as quantidades acordadas, o que o Financial Times chamou de "falhar em grande",[6] e no final de outubro divulgaram uma nota exortando e criticando os 20 países mais ricos. No documento, os responsáveis anunciaram que das 1,3 bilhão de doses prometidas, apenas 150 milhões de unidades haviam sido entregues e que os imunizantes muitas vezes chegavam já com o prazo de validade insuficiente.[7][8]

Em 22 de novembro de 2021, o Team Europe (União Europeia, Noruega e Islândia) anunciou que doaria, ainda em 2021, 99,6 milhões de doses da vacina Johnson & Johnson para países da África, segundo o seguinte esquema inicial: Níger (496.800), Guiné Conakry (496.800), Mauritânia (144.000), República Centro-Africana (302.400) ), Djibouti (50.400), Nigéria (2.764.800), Togo (633.600) e República do Congo (230.400). O Team também reforçou o compromisso de doar 500 milhões de vacinas nos próximos meses com os países mais vulneráveis.[9]

Primeiros países atendidosEditar

Em 24 de fevereiro de 2021, a Covax fez sua primeira entrega de vacinas fora da Índia. O país contemplado foi Gana, na África. "Este é um passo histórico em direção ao nosso objetivo de garantir a distribuição equitativa das vacinas COVID-19 em todo o mundo", escreveu a Gavi em seu website.[10]

A lista da primeira remessa global deveria ser realizada entre abril e maio de 2021 e atenderia mais de 140 países - pode ser acessada aqui - e entre os países lusófonos, Angola receberia 2.172.000 de doses; o Brasil, 9.122.400 e Moçambique 2.064.000.

O país que mais receberia vacinas na primeira remessa, no entanto, era o Paquistão: 14.640.000.

Países lusófonosEditar

Angola: recebeu o primeiro lote, de 624 mil vacinas, no dia 02 de março de 2021 e deveria receber 12 milhões doses até final do mês de junho. [11]

Brasil: recebeu o primeiro lote, de 1,022 milhões de doses, no dia 21 de março de 2021 e entre março e julho mais de 8 milhões haviam sido entregues ao país.[12][13][14]

Referências

  1. a b «COVAX». www.who.int (em inglês). Consultado em 12 de março de 2021 
  2. «O que é a Iniciativa Covax contra a Covid-19 e como ela funciona». Veja Saúde. Consultado em 12 de março de 2021 
  3. «COVAX». www.who.int (em inglês). Consultado em 19 de dezembro de 2020 
  4. «COVAX ANNOUNCES ADDITIONAL DEALS TO ACCESS PROMISING COVID-19 VACCINE CANDIDATES; PLANS GLOBAL ROLLOUT STARTING Q1 2021». www.who.int (em inglês). Consultado em 19 de dezembro de 2020 
  5. «COVAX Supply Forecast reveals where and when COVID-19 vaccines will be delivered». www.gavi.org (em inglês). Consultado em 3 de fevereiro de 2021 
  6. «COVID-19: Iniciativa Covax "falhou em grande" diz Financial Times». VOA. Consultado em 23 de novembro de 2021 
  7. Bernardes*', 'Maria Eduarda Cardim, Gabriela. «Covax Facility cobra do G20 doação de vacinas contra covid-19». Brasil. Consultado em 23 de novembro de 2021 
  8. «An appeal to G20 leaders to make vaccines accessible to people on the move». www.who.int (em inglês). Consultado em 23 de novembro de 2021 
  9. «Team Europe vaccine sharing: almost 100 million J & J doses to be donated by the end of 2021 – first doses arriving in African countries this week». www.gavi.org (em inglês). Consultado em 23 de novembro de 2021 
  10. «COVID-19 vaccine doses shipped by the COVAX Facility head to Ghana, marking beginning of global roll-out». www.gavi.org (em inglês). Consultado em 12 de março de 2021 
  11. grxnet.com. «Portal Oficial do Governo da República de Angola - Notícias - VACINADOS PRIMEIROS CIDADÃOS CONTRA COVID-19». SEPE - Serviços Públicos Electrónicos do Governo de Angola. Consultado em 23 de novembro de 2021 
  12. «Chegada ao Brasil do primeiro carregamento de doses de vacinas no âmbito da iniciativa "COVAX Facility " - Nota Conjunta do Ministério das Relações Exteriores e do Ministério da Saúde». Ministério das Relações Exteriores. Consultado em 22 de março de 2021 
  13. «COVAX: 1 milhão de novas vacinas contra COVID-19 chegam ao Brasil nesta quarta-feira - OPAS/OMS | Organização Pan-Americana da Saúde». www.paho.org. Consultado em 23 de novembro de 2021 
  14. «Chegada das vacinas COVID-19 às Américas por meio do COVAX - OPAS/OMS | Organização Pan-Americana da Saúde». www.paho.org. Consultado em 23 de novembro de 2021 

Ligações externasEditar