Campomanesia lundiana

É uma espécie de Campomanesia extinta[1], nativa do Rio de Janeiro.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaCampomanesia lundiana
Taxocaixa sem imagem
Estado de conservação
Extinta
Extinta
Classificação científica
Reino: Plantae
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Myrtales
Género: Campomanesia
Espécie: lundiana
Nome binomial
Campomanesia lundiana

SinônimosEditar

Lista de sinônimos segundo o Reflora:

  • Basiônimo Britoa lundiana Kiaersk.

Morfologia e DistribuiçãoEditar

Arbusto ou árvore, original do Rio de Janeiro. Algumas características como as do fruto são possibilidades uma vez que não foi coletado na natureza. Sua casca era fissurada com sulcos delicados. Sua folhas eram entre 7.5 e 12 compr. (cm) mais da metade das folha(s), de domácia ausente(s), base aguda, margem inteira/revoluta, o pecíolo desenvolvido. Inflorescência axilar, tipo uniflora/dicásio trifloro. Flor com sépalas triangulares, botão-floral aberto com 5 lobos, com 5 pétalas e bractéolas caducas. Os frutos possivelmente verde, imaturo e amarelo, quando maduro e de 2-8 sementes por fruto.[2]

Referências

  1. «Campomanesia lundiana. The IUCN Red List of Threatened Species 1998: e.T35330A9927286.». World Conservation Monitoring Centre. 1998. Consultado em 22 de agosto de 2020 
  2. «Campomanesia in Flora do Brasil 2020 em construção». Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Consultado em 22 de agosto de 2020