Cantilenae Intelectuales de Phoenice Redivivo

Cantilenae Intelectuales de Phoenice Redivivo ou Intellectual Cantilenae é um livro alquímico de Michael Maier, publicado em 1622. Foi o último texto publicado durante sua vida. [1] A sua dedicação do livro a Frederico, príncipe da Noruega é datado 22 de agosto de 1662, em Rostock [1]

''Cantilenas intelectuais
sobre a ressurreição da Fênix''
Uma amostra das Cantilenas Á época de Michael Maier
Autor(es) Michael Maier
Idioma (em latim)
País  Alemanha}
Assunto Cantilenae Intelectuales In Triadas 9 distinctae, de Phoenice Redivivo; hoc est, Medicinarum omnium pretiossissima, qaue Mundi epitome & Universi speculum est, non tam alta voce, quam profunda mente dictata, & pro clave ternorum irreserabilium in Chymia Arcanorum rationabilibus ministrata.
Gênero Alquimia, Esoterismo, Ocultismo.
Ilustrador Tradutores Le Mascrier; M. Dickman
Lançamento Roma 1622; Rostock, 1623, (em inglês) 1997

James Brown Craven descreveu-o como "um dos mais curiosos e raros dos livros de Maier". Ele teve conhecimento do livro apenas em uma tradução francesa de 1758: [2] Michael Maier "Cantilenae Intelectuais de Phoenice Redivivo"; ou Canções intelectuais sobre a ressurreição da Fênix, traduzido por M.L.L.M.. [3] "O título promete muito": - "Nove tríades de canções intelectuais sobre a ressurreição da Fênix: ou o mais precioso de todos os medicamentos, o espelho e a simplificação deste Universo, mais para o ouvido do que para a mente, e a apresentação para o sábio como a chave dos três Segredos impenetráveis ​​da Química (Alquimia). "[2]

Como em Atalanta Fugiens, Maier organizou seu livro em vozes musicais. Cada uma das nove tríades é expressa como harmonias de Alto, Tenor e Grave vozes. Maier nos diz que o alto expressa "os doces tons de Vênus"; o tenor é o movimento da ala lateral; e o baixo é reservado para o leão. Maier Atribui propósitos distintos para estas vozes: "A primeira das tríades quadratícias trata dos nomes dados às diversidades; a segunda contém Alegorias; e na terceira encontram-se a aplicação dos mistérios desta Arte da Religião". [1]

HistóricoEditar

Trata-se de * Uma alegoria sutil sobre os segredos da alquimia, muito útil para possuir e agradável de se ler (1618). Trad. Cantilenae intellectuales de phoenice redivivo, este são medicamentos muuito preciosos), (1622) : tradução de Mascrier, 1758, reeditado em 1984 Canções intelectuais sobre a ressurreição da Fênix, ou a mais preciosas das medicinas.

O original foi impresso pela primeira vez em Roma em 1622. A tradução em francês de 1758 é da gravura de 1623 em Rostock. Esta edição está em latim e francês, em páginas paralelas.

Uma tradução Inglesa foi feita a partir do francês por Mike Dickman em 1997.[1] A edição alemã foi feita com comentários de Erik Leibenguth em 2002. [4]

BibliografiaEditar

  • Imperatorskīĭ universitet sv. Vladimīr. Catalogus librorum Bibliothecae caesareae universitatis, 1856, pg. 10
  • Smith. Encyclopædia universalis: Regulation. França, 1972

Referências

  1. a b c d O Maier Mike Dickman. "Cantilenas intelectuais em nove tríades sobre a ressurreição da Fênix por Michael Maier". P.35-36. Adam McLean Glasgow. 1992. ASIN. B001ACAK7U
  2. a b James Brown Craven. Count Michael Maier - Vida e Escritos . Kirkwall. 1910
  3. Paris, Debure, 1758.
  4. Erik Leibenguth. Hermetische Poesie des Frühbarock: Die "Cantilenae intellectuales" Michael Maiers. Edition mit Übersetzung, Kommentar und Bio-Bibliographie. Walter de Gruyter GmbH & Co KG, January 1, 2002.

Ligações externasEditar