Caratão (rei)

Caratão (em latim: Charato; em grego: Χαράτων), segundo Olimpiodoro de Tebas, foi um dos primeiros reis hunos. No final de 412 ou começo de 413, recebeu o embaixador romano Olimpiodoro enviado pelo imperador Honório (r. 395–423).[1] Olimpiodoro viajou para o reino de Caratão pelo mar, mas não registra se o mar em questão era o Negro ou Adriático. Como sua história lida exclusivamente do Império Romano do Ocidente, foi provavelmente o Adriático, e visitou os hunos em algum lugar na planície da Panônia.[2]

Caratão
cã huno
Reinado fl. 412
Antecessor(a) Uldino (?)
Sucessor(a) Octar e Ruga (?)
Nascimento século IV
Morte século V
Religião Paganismo huno
Donato e os hunos e a habilidade com que seus reis atiravam com o arco. O autor relata ter sido enviado numa missão para eles e Donato e fornece um trágico registro de suas andanças e perigos pelo mar. Pois Donato, tendo sido enganado por um juramento, foi ilegalmente executado. Como Charaton, o primeiro dos reis, furioso com o assassinato, foi apaziguado por presentes do imperador.[3]

Embora o texto sugira que certo Donato (Δονάτ-, turco yonat, "cavalo"[4]) foi o rei húnico anterior, alguns estudioso como Franz Altheim e Otto Maenchen-Helfen rejeitam esta afirmação.[1]

EtimologiaEditar

Segundo Maenchen-Helfen, seu nome é de origem indeterminada, e pode ter terminado em -tom, -ton, -to, -ta e -t.[5] Omeljan Pritsak derivou a raiz xara - qara do altaico -qara, com o significado de "preto" e "grande; norte". A segunda parte -ton é um empréstimo saca em turco, thauna > *taun > tōn, "vestuário, roupagem".[4] No turco otomano don significa "cota de malha dum cavalo" e há um conceito de "cavalo com a malha preta". Pritsak concluiu como o governante anterior foi chamado Donato (cavalo), e que o nome de Qara-ton (vestido de preto; com malha preta) foi uso críptico intencional para cavalo, possivelmente relacionado ao totemismo húnico.[6]

Referências

  1. a b Maenchen-Helfen 1973, p. 73–74.
  2. Maenchen-Helfen 1973, p. 74.
  3. Maenchen-Helfen 1973, p. 73.
  4. a b Pritsak 1982, p. 437.
  5. Maenchen-Helfen 1973, p. 416.
  6. Pritsak 1982, p. 438.

BibliografiaEditar

  • Maenchen-Helfen, Otto J. (1973). The World of the Huns: Studies in Their History and Culture. Berkeley, Los Angeles e Londres: University of California Press. ISBN 9780520015968 
  • Pritsak, Omeljan (1982). The Hunnic Language of the Attila Clan (PDF) IV. Cambridge, Massachusetts: Harvard Ukrainian Research Institute. ISSN 0363-5570