Abrir menu principal

O termo carcamano tem diferentes acepções no Brasil. Em São Paulo e em partes da Região Sul é uma uma designação pejorativa dada aos italianos e seus descendentes. Em outras partes do Brasil, como no Maranhão, Piauí e Ceará, a palavra foi no passado usada para identificar judeus e árabes.

A origem do termo é duvidosa,segundo o Centre national de la recherche scientifique (França, Professores Jean Perrot, Albert Valdman, Gabriel Manessy, ver referência[1]) a palavra carcamano é composta por duas palavras separadas. Calca, extraído do verbo italiano calcare (italiano), que significa "pressionar" e mano (italiano), que significa "mão" .Tal associação derivaria do fato que feirantes e pequenos comerciantes discretamente forçavam (calcare, italiano e ) as suas mãos (de onde mano (italiano) vs. mão portugues) nas balanças, para que estas registrassem um peso maior, e assim as mercadorias seriam vendidas por um valor maior que o peso real. Como à época a maioria desses comerciantes em São Paulo eram italianos, e descendentes, o termo se popularizou para designação desse grupo étnico . É uma maneira de chamar o comerciante de trapaceiro.[2] Segundo Antenor Nascentes é provável que carcamano derive da palavra castelhana carcamán, que na América Latina denota "pessoa decrépita" (no Peru), forasteiro pobre (em Cuba), pessoa pretensiosa e de poucos méritos (na Colômbia) e italianos - em especial genoveses - (na Argentina)[3][4].


Referências