Carlos Méro

Carlos Barros Méro (Penedo, 5 de abril de 1949) é escritor brasileiro.

Carlos Méro
Nascimento 5 de abril de 1949
Penedo, AL
Nacionalidade Brasileiro
Ocupação Ficcionista
Escola/tradição Modernismo

BiografiaEditar

Filho de Ernani Méro e Nair Barros Méro, nasceu em Penedo, cidade alagoana que, plantada à margem do Rio São Francisco. Em 1636, ao ser a povoação elevada a Vila por ato de Duarte de Albuquerque Coelho, Donatário da Capitania de Pernambuco (Nova Lusitânia), já recebeu o título de: Mui nobre, leal e valorosa.

Tranferindo-se mais tarde para Maceió, onde ainda hoje é vivente, foi ali que completou a sua formação escolar e se iniciou nas atividades de Operador do Direito, tendo sucessivamente exercido as funções de Promotor de Justiça, Consultor-Geral do Estado de Alagoas, Procurador-Geral do Município de Maceió, Procurador de Estado, Procurador junto ao Tribunal de Justiça e membro do Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Alagoas.

Hoje membro da União Brasileira de Escritores (UBE), da Academia Alagoana de Letras (AAL) e do Instituto Histórico e Geográfico do Estado de Alagoas (IHGAL), desenvolve intensa atividade intelectual como poeta, cronista, contista e novelista.

Sobre os seus contos, aqueles encerrados em O Beco das Sete Facadas e Outras Estórias Alucinadas(Marco Zero, São Paulo, 2005), destacou Ledo Ivo, também escritor alagoano e membro da Academia Brasileira de Letras, não somente a singularidade das tramas que revela, mas também o fato de serem escritos “numa linguagem viva e irônica, e que guardam a cor e o sabor da nossa querida terra natal” (Alagoas).

Afirmou, por sua vez, Solange Lages Chalita, poeta, ensaísta e crítica literária: “A soma dessas contribuições originais e mais a arte de metaforizar e de caricaturar tornam o estilo do autor de O Beco das Sete Facadas único, com impossibilidade de clonagem. E nisso, ele remeta a Proust: para usufruir das benesses de seus textos, os leitores necessitam de um preparo mental, de uma prévia iniciação. Porém, uma vez transposto o umbral das dificuldades, acostumam-se ao ritmo frasal e se encantam com a voz polifônica desses escritores geniais? (in Ler o que conta Carlos Méro.” (O Jornal, 8.4.2005, p. A3).

Já acerca da sua obra poética, merece leitura o ensaio Sobre “Um Gosto de Mulher” de Carlos Méro”, de FÁBIO LUCAS (Editora Scortecci, São Paulo, 1996). Carlos Méro é hoje Presidente da Academia Alagoana de Letras do Estado de Alagoas (Brasil).

Obras

    • Estudos e pareceres jurídicos. Maceió: SERGASA. 1985.
    • Curso básico de filosofia (Didático) - Co-autor: Nabor Bulhões. Maceió: EDISA. 1972.
    • Um gosto de mulher (Poesia). Maceió. SERGASA. 1994.
    • Sua Excelência a Prostituta (Teatro). Maceió: Grafitex. 1998.
    • Um Gosto de Mulher (Poesia ). Maceió: Sergasa, 1994.
    • Quatro Poetas de Alagoas. In Revista da Literatura Brasileira, nº 15, São Paulo, 1999.
    • Vida, Paixão e Morte do Irmão das Almas (Novela) . São Paulo: Scortecci. 1999.
    • Herdeiro das Trevas (Novela). São Paulo: Scortecci, 1999.
    • Amor de Danação (Conto). In Revista da Academia Alagoana de Letras, nº 18, Editora Universitária da UFAL, Maceió, 2001.
    • O Beco das Sete Facadas e Outras Estórias Alucinadas (Contos). São Paulo: Marco Zero. 2005.
    • O Destronamento de Plutão (Conto). In Revista da Literatura Brasileira, nº 43, São Paulo, 2006.
    • O Chocalho da Cascavel e outros relatos de maldizer (Contos). São Paulo: Nelpa. 2011.
    • A Lua de Fel do Casal Valhamor (Conto). In RevueL'Ordinaire Lationo-Americain, nº 212, Université de Toulouse II - Le Mirail. 2010.
    • O Amargo Regresso da Desesesperança (Conto). In Caravelle, nº 96, Université de Toulouse II - Le Mirail, junho de 2011.
    • Travessias (Contos) - Co-autora: Cristina Duarte-Simões. Maceió: Viva Editora. 2013.
    • Graciliano Ramos: Un monde de peines. Lille (FR): TheBookEdition. 2015.
    • Dias assombrados em Roma (Memórias). São Paulo: Scortecci. 2015.
    • O chocalho da cascavel (Contos). São Paulo: Scortecci. 2016
    • Maíra (Nouvelle). Toulouse: Revue Reflexos, nº 3
    • Inventando Maíra (coautoria de Cristina Duarte-Simões). São Paulo: Scortecci, 2016

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.