Cartas anunciando o descobrimento das Índias

As cartas que anunciaram a descoberta das Índias[1][2] são um conjunto de manuscritos e gravuras que, a partir de 1493, tornaram públicos os achados da primeira expedição liderada por Cristóvão Colombo ao que hoje se chama América. No início de abril, uma carta em espanhol foi impressa em Barcelona dirigida ao tabelião da Ração da Coroa de Aragão, Luis de Santángel; Poucas semanas depois, uma tradução latina desse mesmo documento ou de outra carta muito semelhante dirigida ao tesoureiro real Gabriel Sánchez foi publicada em Roma. A versão latina se espalhou rapidamente por toda a Europa, sendo reeditada várias vezes e traduzida para outras línguas.[3] Posteriormente, apareceram manuscritos de conteúdo semelhante à carta impressa em Barcelona e, em 1985, uma cópia do século XVI de uma carta de Colombo aos Reis datada de março de 1493 e tratando do mesmo assunto.[4]

Imagem da edição de Basileia de 1493 anunciando o descobrimento de Colombo.
Primeira página da carta em espanhol impressa em Barcelona em 1493

Essas cartas descrevem as ilhas descobertas, em particular Cuba e Hispaniola, e os costumes de seus habitantes, abundando em exageros sobre o tamanho das ilhas, sua riqueza e a docilidade dos índios.[5][6] No entanto, oferecem poucos dados concretos sobre a viagem (omitidos, por exemplo, referência à perda da nau capitânia) e mesmo alguns deles contradizem outras fontes, em particular o Jornal de bordo.[7]

A posição tradicional sobre a autoria das cartas impressas em 1493 é atribuí-la ao próprio Colombo, que teria promovido sua publicação como forma de proteger seus interesses.[8] Outra teoria, por outro lado, afirma que foram escritos pelo rei Fernando e por Luís de Santángel, inspirados em vários relatos enviados por Colombo aos reis no seu retorno. Apesar das dúvidas sobre sua autoria, essas cartas têm grande importância histórica porque constituíram a única fonte sobre a primeira viagem de Colombo que foi publicamente disponível durante a vida do Almirante.[9]

Além disso, sua publicação foi, intencionalmente ou não, uma extraordinária operação de propaganda graças à recém-inventada imprensa.[5] Nesse sentido, a consequência mais imediata foi que a divulgação da notícia do Descobrimento passou a ser a mais rápida e universal em todo o século XV e parte do século XVI.[7]

Referências

  1. EDNEY, Matthew H. «Columbus's First Letter. Its Diffusion through Europe, 1493-1497» (em inglês). Universidade de Southern Maine 
  2. ARRANZ MÁRQUEZ, Luis. Págs.43-44.
  3. «Columbus's First Letter: Publication History». web.archive.org. 8 de dezembro de 2008. Consultado em 13 de fevereiro de 2021 
  4. Márquez, Luis Arranz (2006). Cristóbal Colón: misterio y grandeza (em espanhol). [S.l.]: Marcial Pons Historia. pp. 43–44 
  5. a b «Early Modern Spain: Introduction to the Letters from America». www.ems.kcl.ac.uk. Consultado em 13 de fevereiro de 2021 
  6. «Wayback Machine» (PDF). web.archive.org. 20 de setembro de 2009. Consultado em 13 de fevereiro de 2021 
  7. a b RAMOS PÉREZ, Demetrio (1983). La carta de Colón sobre el Descubrimiento. Diputación Provincial de Granada.
  8. SANZ, Carlos (y Henry Harrisse) (1959). El gran secreto de la Carta de Colón. Madrid: V. Suárez
  9. Quinn, David B.; Clough, Cecil H.; Hair, P. E. H.; Hair, Paul Edward Hedley (1994). The European Outthrust and Encounter: The First Phase C.1400-c.1700 : Essays in Tribute to David Beers Quinn on His 85th Birthday (em inglês). [S.l.]: Liverpool University Press 

Bibliografia editar

  • Arranz Márquez, Luis (2006). Cristóbal Colón: misterio y grandeza. Editorial Marcial Pons Historia. ISBN 8496467236.
  • Davidson, Miles H. (1997). Columbus then and now: a life reexamined. University of Oklahoma Press. ISBN 0806129344.
  • Fernández de Navarrete, Martín (1825). Colección de los viages y descubrimientos que hicieron por mar los españoles. Madrid: Imprenta Real.. Contiene la primera transcripción del manuscrito de Simancas (pp. 167-175) y también el texto original en latín y traducción al español de la carta a Gabriel Sánchez (pp.175-197).
  • Henige, David (1994). «Finding Columbus: Implications of a newly-discovered text». En David B. Quinn, Cecil H. Clough, Paul Edward Hedley Hair, ed. The European outthrust and encounter: the first phase c.1400-c.1700 (en inglés). Liverpool University Press. ISBN 0853232296.
  • Ife, Barry W. (1992). «Introduction to the Letters from America» (en inglés). King's College London. Consultado el 22 de julio de 2009.
  • León Guerrero, Montserrat (2000). El segundo viaje colombino. Universidad de Valladolid (tesis doctoral).
  • Morales Padrón, Francisco (1990). Primeras cartas sobre América (1493-1503). Sevilla: Universidad de Sevilla. ISBN 84-7405-517-2.
  • Ramos Pérez, Demetrio (1983). La carta de Colón sobre el Descubrimiento. Diputación provincial de Granada. Contiene introducción crítica, facsímil y transcripción del manuscrito de la carta al escribano de ración en el Archivo de Simancas.
  • Rumeu de Armas, Antonio, ed. (1989). Libro copiador de Cristóbal Colón: correspondencia inédita con los Reyes Católicos sobre los viajes a América. Testimonio. ISBN 84-86290-22-8.
  • Sanz López, Carlos (1958). Bibliografía general de la Carta de Colón. Madrid: Librería General Victoriano Suárez.
  • — (1962). La Carta de Colón: 15 febrero-14 marzo 1493. Madrid: Gráficas Yagües.